Prefeito alemão leva facada no pescoço por defender política pró-refugiados

Agressor teria criticado duramente a política de acolhimento de imigrantes antes de ferir o prefeito. Segundo testemunhas, ele estava visivelmente alcoolizado

Por AFP

Prefeito Andreas Hollstein participando de uma coletiva de imprensa após levar uma facada no pescoço
Prefeito Andreas Hollstein participando de uma coletiva de imprensa após levar uma facada no pescoço - AFP

Berlim - O prefeito de Altena, cidade no Oeste da Alemanha, Andreas Hollstein, levou uma facada no pescoço por um homem que protestava contra a política pró-refugiados do município, segundo informações do governo local divulgadas nesta terça-feira. Ele não teve ferimentos graves e passa bem.

"Os serviços de segurança partem do princípio de que esse ataque tem uma motivação política, dadas as palavras pronunciadas pelo agressor", indicou o ministro-presidente do Estado regional de Renânia do Norte-Westfália, onde aconteceu o ataque, na noite de segunda.

Nesta terça, a chanceler Angela Merkel condenou o ataque contra o prefeito Andreas Hollstein, membro de seu partido conservador, CDU.

"Estou horrorizada com esse ataque a faca", disse no Twitter, segundo seu porta-voz.

O prefeito foi ferido quando estava na frente de um restaurante kebab. O agressor, de 56 anos, visivelmente alcoolizado segundo testemunhas e armado com uma faca de 30 centímetros, perguntou: "Você é o prefeito?". Então, criticou duramente sua política de acolhida de imigrantes, relatou a imprensa alemã.

Em seguida, agrediu-o, antes de ferir levemente um funcionário do restaurante, que agiu em defesa do prefeito.

De cerca de 18 mil habitantes e com uma generosa política pró-imigrantes, esta cidade acolheu mais refugiados do que lhe cabia, segundo o sistema nacional de distribuição.

Mais de um milhão de solicitantes de asilo chegaram à Alemanha desde 2015, após a decisão de Angela Merkel de abrir as portas do país. Essa decisão lhe valeu críticas, e um aumento considerável da presença da extrema direita no Parlamento, após as eleições legislativas de setembro.

O caso de Altena relembra uma agressão parecida contra a prefeita de Colônia, Henriette Reker, em outubro de 2015. Ela foi gravemente ferida por um simpatizante de extrema direita que denunciava a chegada de solicitantes de asilo à cidade.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência