Moro 'divide torcidas'

Procuradores vaiam e deixam evento. Entidade minimiza o caso

Por O Dia

O juiz federal Sergio Moro foi alvo de protesto no Congresso dos Procuradores Municipais na terça-feira, em Curitiba. No momento em que o magistrado subiu ao palco para palestrar, um grupo de procuradores deixou o evento em repúdio e chegou a vaiar o juiz.

Segundo o site 'Paraná Portal', a polêmica começou quando o nome do juiz da Lava Jato foi confirmado no congresso; 72 procuradores municipais teriam assinado nota endereçada ao presidente da Associação Nacional dos Procuradores Municipais (ANPM), Carlos Mourão, para manifestar descontentamento.

Já a ANPM emitiu um comunicado afirmando que "apenas quatro vaiaram o juiz federal Sérgio Moro e 800 o aplaudiram de pé". Miguel Kalabaide, procurador do município em Curitiba e coordenador-geral do congresso, disse que, desde o momento em que o juiz confirmou sua presença no evento, "quatro pessoas, com nome e sobrenome, anunciavam que queriam fazer a manifestação. Não proibimos, eles entraram".

O coordenador acrescentou que comentou com Sergio Moro sobre a presença dos quatro e que poderia haver algum tipo de manifestação. "Desde que não atrapalhe a minha palestra não vejo problema, não me oponho", disse o juiz da Lava Jato. A procuradora municipal de Fortaleza Rosaura Brito Bastos, de acordo com o 'Paraná Portal', criticou: "Moro exerce uma magistratura acusatória, que desrespeita a defesa dos réus".

Rio como exemplo

Na palestra, Moro declarou: "É possível cogitar a possibilidade, e isso é algo um tanto quanto aterrador, de que esquemas criminosos semelhantes se reproduzam em outras esferas estadual, municipal, em vários países e vários locais dessa nação. O exemplo mais visível atualmente talvez seja o Estado do Rio, onde, puxando o fio de uma investigação originada de corrupção em contratos da Petrobras, se identificou um esquema criminoso muito mais complexo a abrangente."

Comentários

Últimas Notícias