Tiros em luau em São Conrado

De acordo com a polícia, crime está ligado a uma disputa do tráfico na Rocinha

Por O Dia

Menor baleado foi socorrido por dois homens, que foram à delegacia
Menor baleado foi socorrido por dois homens, que foram à delegacia - Rafael Nascimento

A Polícia Civil já sabe quem são os três homens que atiraram contra um grupo de pessoas em um luau, na madrugada de ontem, no posto 13 da praia de São Conrado. Segundo a investigação, os suspeitos integram o grupo do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, e atacaram pessoas supostamente ligadas a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, que estariam comemorando na praia quando foram atacadas.

Entre os feridos, está um adolescente de 17 anos que teria participado da invasão da Rocinha, em setembro. Ele foi baleado na virilha. Francisca Pereira de Mesquita, de 76 anos, que vendia caipirinha no local, foi ferida na mão esquerda. Andrei Gonçalves de Jesus da Silva, de 23 anos, foi atingido no pé. As vítimas estão internadas no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Segundo as investigações, os criminosos do grupo de Rogério descobriram a comemoração e foram ao local com 'alvos certos'. A festa foi interrompida pelos suspeitos, que passaram na orla atirando de dentro de uma pick-up preta. Após o ataque, dois moradores da Rocinha que estariam na festa prestaram socorro ao adolescente e seguiram de carro pelo túnel Zuzu Angel.

Um pneu furou e eles saíram do veículo para pedir socorro. Mas motoristas acreditaram se tratar de um arrastão e voltaram na contramão. Por conta do incidente, o túnel ficou fechado por mais de 15 minutos. Durante a interdição, policiais do 23º BPM (Leblon) prestaram socorro. Os dois homens foram levados à 15ª DP (Gávea). Lá, disseram que fizeram a festa na praia porque não se sentiam protegidos na favela, por causa dos confrontos. Sem antecedentes, acabaram liberados. A polícia irá analisar imagens de câmeras de segurança perto do local do crime.

A 11ª DP (Rocinha) investiga crimes supostamente cometidos pelo adolescente baleado. Entre eles, tentativa de homicídio, roubo, dano, associação criminosa, disparo de arma de fogo e porte ilegal de arma. "Estamos investigando a participação dele na invasão da Rocinha. Por enquanto não vamos pedir sua internação, já que precisamos de mais materialidade e ainda não há nada, de fato, contra ele", afirmou o delegado Antônio Ricardo.

CONFRONTO ENTRE RIVAIS

Outra disputa pelo controle territorial entre traficantes rivais acabou com três mortos e outros três feridos, na madrugada de ontem. O confronto ocorreu no Morro da Dita, em São Gonçalo, quando bandidos da comunidade do Anaia invadiram o local, que é controlado por traficantes ligados ao traficante Nem da Rocinha.

Os feridos estão internados no Hospital Estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo. Policiais da Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói vão ouvir testemunhas para avaliar a possibilidade de prendê-los por homicídio.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro