Côrtes: repasse a campanha de Pezão e Pedro Paulo

Por O Dia

O ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes afirmou em depoimento a Bretas que repassou valores recebidos pelo empresário Gustavo Estelita às campanhas do governador Pezão, em 2014, e do deputado federal Pedro Paulo, à prefeitura, em 2016. Côrtes admitiu ter recebido vantagens pessoais desde que foi médico residente do Into.

"Em 2014, Cabral pediu que eu arrumasse entre R$ 400 a 500 mil para a campanha de Pezão. Disse a ele que arrumei R$ 300 mil e fiquei com R$ 150 mil. Em 2016, fui procurado pelo ex-prefeito Eduardo Paes, que pediu o dinheiro para a campanha do Pedro Paulo. Fiz dois repasses ao Renato Pereira, marqueteiro da campanha", disse Côrtes, que tentou mais dinheiro na Rede D'Or, onde atuava, sem sucesso. Cabral afirmou que não estipulou valor, mas que o empresário Miguel Iskin repassou R$ 2,5 milhões para a campanha de Pezão e R$ 500 mil para partido aliado.

Em nota, Pedro Paulo, negou doações ilegais. "Todos recursos foram declarados à Justiça Eleitoral", alegou, observando que Côrtes fez doação legal de R$ 150 mil, como outras 384 pessoas. Já Paes explicou que "o apoio (...) de Côrtes foi feito e declarado na prestação de contas de Pedro Paulo".

O ex-secretário chorou. "Minha carreira foi manchada pelos meus erros, mas nunca usei vantagens indevidas", salientou, alegando que sonhava ser ministro da Saúde no governo Dilma.

Comentários