Protesto por sumiço de bebê

Familiares de Kevin foram ao Hospital Pasteur pedir explicações sobre o caso

Por GUSTAVO RIBEIRO

Manifestação em frente à unidade ontem teve cartazes e faixas
Manifestação em frente à unidade ontem teve cartazes e faixas - Maíra Coelho / Agência O Dia

Parentes de Kevin, bebê que morreu na barriga da mãe, fizeram ontem, um protesto na porta do Hospital Pasteur, no Méier, onde o corpo desapareceu no domingo. Com faixas e cartazes, a família pediu explicações sobre o caso, que está sendo investigado pela 23ª DP (Méier).

A mãe de Kevin deu entrada na unidade após passar mal. Os médicos fizeram o procedimento de retirada do bebê e o sepultamento estava marcado para às 11h de terça. Ao chegar no local para liberar o corpo, o pai foi informado de que ninguém sabia onde estava a criança.

No protesto, outras duas famílias afirmaram ter processado o hospital por erro médico. Uma delas informou que também houve sumiço do feto, em 2015.

Carine Silva, 27 anos, tia de Kevin, afirmou que o laudo do hospital era diferente do quadro clínico da mãe. "Queremos uma resposta para saber onde está o corpo. Falam que pode ter sido jogado no lixo ou outra família ter levado por engano". O pai, Wanderson Nunes, foi à delegacia prestar novo depoimento ontem. Em nota, o Pasteur informou que instaurou sindicância interna para o caso e permanece em contato com a família.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro