Nomeação indevida de funcionários

Por O Dia

No sétimo mandato, o ex-secretário de Governo e da secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Pezão, Paulo Melo é apontado como forte aliado do ex-governador Sérgio Cabral. Melo teria o controle de contratos firmados com o Detran. Por e-mail, ele comandaria a nomeação de funcionários para o órgão feito em conluio com a Facility, responsável pela mão de obra, que recebia pagamentos do governo, a pedido de Melo.

Segundo as investigações, os operadores financeiros de Melo seriam Andreia Cardoso do Nascimento, chefe de gabinete do parlamentar e Fábio, o irmão dela. O dinheiro era entregue num antigo comitê de campanha, no Centro.

Paulo Melo usaria funcionários para integrar sociedade em empresas. Um deles é apontado como Weverson do Carmo Lisboa, que foi secretário Municipal de Meio Ambiente de Saquarema, e Túlio César de Almeida Pereira, em empresas como Mauá Agropecuária Reunidas Ltda e Saquarema Vip Serviços Especiais. Em 2015, Jorge Picciani nomeou Weverson para exercer cargo em comissão junto à presidência da Casa.

Nas declarações de bens apresentadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por Melo consta empréstimo de R$ 50 mil com a MVC Gestão de Ativos, que tem como sócio Mário Peixoto, administrador da Multiprof Cooperativa Multiprofissional de Serviços, a favor de quem o estado empenhou mais de R$ 131 milhões entre 2002 e 2013, como consta no inquérito civil nº 2013.00670457. A MVC é sócia da Villa Toscana na Agrobilara.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro