Banhistas lotaram a praia para ver de perto a jubarte, que, segundo biólogo, morreu há um tempo - Severino Silva
Banhistas lotaram a praia para ver de perto a jubarte, que, segundo biólogo, morreu há um tempoSeverino Silva
Por

Quem estava ontem na Praia de Ipanema, entre os postos 8 e 9, presenciou uma cena bastante incomum. Em um dia de sol, com um mar caribenho, banhistas ficaram surpresos com uma baleia jubarte, de aproximadamente 30 toneladas, que apareceu morta e boiando no mar. A causa da morte ainda é desconhecida. O material em decomposição será levado para um aterro e transformado em energia limpa.

"É uma baleia macho e ela já está morta há um tempo, devido a coloração", explicou o biólogo Rafael Carvalho, da Uerj. Técnicos do Inea e a Comlurb estiveram no local para retirar o animal durante o dia, mas decidiram esperar a praia esvaziar para fazer a remoção. Até o fechamento desta edição, a baleia estava pronta para ser içada e foram utilizados um guindaste, três escavadeiras, uma pá carregadeira e uma carreta. No aterro sanitário em Seropédica, a jubarte ficará em uma cápsula para geração de biogás. Os restos mortais serão doados para laboratórios.

"Não tive coragem de entrar no mar, pois não sei se esse animal tem alguma doença e se pode transmitir", contou a banhista, publicitária Grasiela Camargo.

Você pode gostar
Comentários