O Projeto Criolice 'Zumbi Vive', em Bento Ribeiro, começa com atividades às 12h e, de 17h às 21h30, terá roda de samba com convidados especiais - Divulgação
O Projeto Criolice 'Zumbi Vive', em Bento Ribeiro, começa com atividades às 12h e, de 17h às 21h30, terá roda de samba com convidados especiaisDivulgação
Por

Uma série de eventos marcam hoje o Dia da Consciência Negra em toda o estado. Debates, shows, rodas de samba e feijoadas fazem parte da programação para celebrar a data.

O Centro Cultural Banco do Brasil encerra hoje a programação de 72 horas em homenagem à cultura negra. Logo de manhã, a partir das 9h, tem feira a gastronômica Coro Come, com barraquinhas de comida, bebida, expressões artísticas de rua e corte de cabelo. À tarde, tem apresentação do Afoxé Filhos de Gandhi e a festa 'Eu Amo Baile Funk', com a participação da funkeira Mc Carol (veja ao lado programação completa).

O evento "Zumbi Vive", do Projeto Criolice, apresenta a partir das 12h no Clube 4 Linhas, em Bento Ribeiro, batalha de passinho, roda de capoeira e o lançamento do cd "É Preta", um projeto musical que reúne cinco cantoras negras do samba. São elas Maria Menezes, Marcelle Motta, Marina Ma Iris, Nina Rosa e Simone Costa. E como não poderia faltar, a feijoada também se faz presente.

Em Niterói, na Praça Leoni Ramos, na Cantareira, haverá a nova edição do "Viva Zumbi", a partir das 10h. Com doze horas de atividades, feira de artesanato, apresentações de jongo, capoeira, hip hop, samba, exposição fotográfica, feijoada e os shows de Áurea Martins e Dudu Nobre.

Em Petrópolis, a programação que começou dia 17 chega ao fim hoje a quinta edição da Festa da Cultura Afro Brasileira, no Palácio de Cristal, com o tema "Apropriação e Empoderamento da População Negra". Música, teatro, dança, oficina e comidas típicas africanas estão na programação.

Símbolo da resistência negra à escravidão, Zumbi foi um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares e a data da sua morte, 20 de novembro, é celebrada como o Dia da Consciência Negra. O feriado abre discussões sobre o racismo. Segundo a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI), por mês cerca de 97 casos de racismo são registrados. Nos nove primeiros meses deste ano foram 837 vítimas de injúria por preconceito e 43 sofreram preconceito de raça ou de cor.

Entre amanhã e sexta-feira, a A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vai apresentar gratuitamente debates, programação artística, exibição de documentários e homenagens a nomes importantes da história negra como o cantor e compositor Altay Veloso.

Você pode gostar
Comentários