Até dez anos para cirurgia eletiva

Por O Dia

Pelo menos 904 mil pessoas esperam por uma cirurgia eletiva não urgente no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo levantamento do Conselho Federal de Medicina, parte desses pacientes aguarda o procedimento há mais de 10 anos.

Entre as cirurgias com o maior número de demandas represadas estão as de catarata (113.185), correção de hérnia (95.752), retirada da vesícula (90.275), varizes (77.854) e de amídalas ou adenoide (37.776).

A demora pode levar ao agravamento da saúde do paciente, aumentando os custos para o próprio sistema. Quem não faz a cirurgia eletiva, explicou o especialista Britto Ribeiro, "vai acabar caindo no sistema de emergência ou operado num quadro muito pior do que no início da doença."

O conselho acredita que o número de pacientes na espera é provavelmente ainda mais alto, pois somente 16 estados e 10 capitais enviaram dados.

O Ministério da Saúde diz investir na informatização do SUS e nos repasses estaduais. O total de cirurgias eletivas feitas no país, afirma a pasta, cresceu 39%.

Comentários

Últimas de Brasil