Mais Pendências Que Foram Cumpridas

.

Por O Dia

 Meirelles: crescimento de 3%
Meirelles: crescimento de 3% - José Cruz/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (foto), deixou ontem o funcionalismo e o governo do estados mais apreensivos em relação às negociações para o Rio receber o empréstimo de R$ 2,9 bilhões que vai colocar os salários atrasados em dia. Em agenda no Rio, Meirelles informou que uma pendência com o Banco Mundial para liberar os recursos que virão do banco BNP Paribas emperrava o andamento das tratativas.

Segundo Meirelles, o que estava pendente seria o fato de o estado ter, no passado, usado 20% das ações da Cedae como garantia em outro empréstimo com o próprio Banco Mundial. A atual transação que envolve os R$2,9 bi também terá papéis da empresa como contrapartida. Por isso, o governo do estado precisaria, de acordo com o ministro, resolver mais essa pendência.

"Para novo empréstimo (dos R$ 2,9 bi), seria uma garantia em primeiro grau dos 80% (das ações da Cedae) e em segundo grau os 20%, e para isso o Banco Mundial precisa concordar", disse ontem Meirelles.

Questionado, pela Coluna, o governador Luiz Fernando Pezão esclareceu que não havia esse problema. "Já falei com o ministro, não existe essa pendência com o Banco Mundial", disse, ressaltando que houve um equívoco de Meirelles.

Para também esclarecer a situação, a Secretaria Estadual de Fazenda informou no começo da noite que a pasta "venceu mais uma etapa burocrática da negociação do contrato da operação de crédito de R$ 2,9 bilhões".

Comentários