Salários de outubro ainda não foram regularizados

Por O Dia

De um lado, a Prefeitura do Rio que diz que repassou R$58 milhões. Do outro, as Organizações Sociais (OSs) que alegam que não receberam. No meio desse imbróglio, funcionários que não tiveram os salários de outubro liberados. Apesar de o prazo para o pagamento ter expirado ontem, até o fechamento desta edição, ainda havia funcionários sem receber.

Na terça passada, representantes da prefeitura, dos sindicatos ligados à Saúde e duas OSs, a Iabas e a Viva Rio, participaram de reunião com a desembargadora Rosana Vilela, do Tribunal Regional do Trabalho 1ª Região (TRT1). "Ficou acordado que até sexta (ontem) os pagamentos deveriam ser efetuados, mas segundo o comando de greve, vários funcionários ainda não receberam. A intenção é entregarmos levantamento, que ainda está sendo fechado, na segunda, quando teremos outra reunião no TRT1", afirmou Mônica Armada, presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Rio.

Embora os salários não estejam em dia, os funcionários da Saúde cumpriram o acordo com o TRT1, que pediu o aumento do plano de contingência de 30% para 50%. "Fizemos uma negociação para garantirmos o atendimento pela metade e não prejudicarmos a população. Estamos cumprindo a nossa parte, falta as OSs e a prefeitura cumprirem a parte delas. Estamos trabalhando sem recursos. Não faltam apenas os salários. Falta tudo, até esparadrapo", explicou a presidente do sindicato.

No levantamento parcial, há a programação de pagamento de dezembro dos contratos de gestão do VIVA Rio, da SPDM e IABAS para a próxima segunda. Mas ainda não há informações de agendamentos para a GNOSIS, Fiotc e CIEDS.

Comentários

Últimas de Economia