Comércio deve contratar mais de 70 mil trabalhadores temporários

Pesquisa aponta que do total de vagas, 6,4 mil serão abertas no Rio. Chance de efetivação atinge 30%

Por MARTHA IMENES

Expectativa de contratações no comércio subiu de 4,8% para 5,2% e quebra o jejum de dois anos de baixa
Expectativa de contratações no comércio subiu de 4,8% para 5,2% e quebra o jejum de dois anos de baixa - Luiz Ackermann / Agecia O Dia

O comércio deve contratar 74,1 mil trabalhadores temporários neste final de ano, segundo projeção divulgada ontem pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Deste total, 47%, ou 34,8 mil pessoas, ficarão concentradas em Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A pesquisa da CNC aponta que somente para o Rio estão previstas 6,4 mil contratações. Esta é a primeira vez depois de dois anos que o comércio registra aumento na expectativa de contratações de empregados temporários.

De acordo com a pesquisa, o Natal deverá movimentar R$ 34,9 bilhões, alta de 5,2% ante projeção de 4,8%, em relação ao ano passado, a maior variação desde 2013. "O cenário para o comércio está bastante positivo para o curto prazo. O comércio interrompe dois anos de queda", disse o economista-chefe da Divisão Econômica da CNC, Fábio Bentes, que creditou a melhora não só ao aumento da demanda, mas também ao pagamento do décimo terceiro salário.

EXPECTATIVA

Por conta do adiamento das contratações para dezembro, antes da crise econômica elas ocorriam em setembro e novembro, a expectativa de efetivação dos temporários aumentou para 30%, informa a pesquisa. Em 2015 e 2016, apenas 15% dos trabalhadores temporários foram efetivados após o Natal.

O salário médio de admissão deverá ter aumento real de 3,8% na comparação com o mesmo período do ano passado, alcançando R$ 1.185. O maior pagamento deve ser oferecido no ramo de artigos farmacêuticos, perfumarias e cosméticos (R$ 1.430), seguido pelas lojas especializadas na venda de produtos de informática e comunicação (R$ 1.392). No entanto, estes segmentos devem responder por apenas 2% do total de vagas.

Comentários

Últimas de Economia