Meirelles e Pezão se reencontram hoje para a solenidade, que terá presença do secretário Gustavo Barbosa - Estefan Radovicz / Agência O Dia
Meirelles e Pezão se reencontram hoje para a solenidade, que terá presença do secretário Gustavo BarbosaEstefan Radovicz / Agência O Dia
Por

Apostando que não haverá mais nenhum obstáculo, o governador Luiz Fernando Pezão reafirmou à Coluna que o empréstimo de R$ 2,9 bilhões ao Rio será assinado hoje. "Os contratos acabaram de ficar prontos, será assinado amanhã (nesta quinta-feira)", disse ontem Pezão, que está em Brasília para a solenidade. Representantes do BNP Paribas, banco responsável pelo crédito, estarão hoje na capital federal. A operação terá aval da União e as ações da Cedae em contragarantia. Se tudo der certo, R$ 2 bilhões já entram no caixa estadual na semana que vem, aumentando a chance de o estado quitar atrasados a partir do dia 20.

Esse empréstimo é a medida de efeito mais imediato entre as ações previstas pelo Regime de Recuperação Fiscal (RRF). A previsão é de a primeira parte do crédito (R$ 2 bilhões) entrar na conta do Tesouro Estadual três dias úteis após a publicação do contrato no Diário Oficial da União. Os R$ 900 milhões restantes virão em até 60 dias depois.

Enfrentando a angústia pelos atrasos e parcelamentos de salários, o funcionalismo estadual conta os dias para os recursos chegarem. Após tantas burocracias impostas pela equipe do Tesouro Nacional, qualquer passo para trás aumenta o sofrimento de servidores.

No entanto, ontem pela manhã, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deu entrevista à Rádio Tupi e confirmou que a assinatura do empréstimo seria esta semana ele, porém, não cravou a data de hoje.

"Estamos ajudando o Rio de diversas maneiras. Essa semana vai ser concedido empréstimo com garantia do governo federal para o estado, que vai permitir que o Rio de Janeiro pague os salários atrasados", afirmou.

De acordo com o estado e com a própria lei aprovada na Alerj, os recursos do empréstimo têm que ser para pagamento de salários dos servidores. Assim, serão quitados o 13º de 2016, pendente para 227 mil pessoas, em um total de R$1,2 bilhão; o salário de novembro, em aberto para 211.638 vínculos, e cujo valor necessário é de R$ 619,6 milhões. Há promessa de pagar horas extras da Segurança Pública, em torno de R$ 40 milhões.

Agora, Pezão prefere não informar data do depósito, mas nos bastidores a equipe do governo diz que até o Natal tudo estará acertado.

Você pode gostar
Comentários