Trabalho de análise de dados será intensificado e dinheiro recuperado

Por O Dia

O presidente do Previ-Rio, Bruno Louro, ressaltou que o instituto intensificará o trabalho de combate a fraudes. A autarquia, porém, lembra que é permitida a apresentação de laudo médico, no entanto, haverá análise dos documentos para evitar ilegalidades.

"O aprimoramento permanente dos nossos sistemas de controle e o combate constante a quaisquer possibilidades de fraudes fazem parte do bom gerenciamento dos recursos dos servidores da Prefeitura do Rio", declarou Louro.

De acordo com o diretor de Previdência, há cerca de 600 recadastramentos por laudo médico, o que representa 1% do público de inativos.

O pente-fino terá a ajuda de convênios firmados com a Secretaria Municipal de Saúde, entre outros órgãos, para o cruzamento de dados. Haverá ainda um foco na busca por idade, como uma pesquisa detalhada nas aposentadorias pagas a inativos de mais de 90 anos.

"Agora, o foco é em aposentadorias. Depois, vamos ampliar essas análises de documentos para as pensões pagas", disse Carralas, lembrando que também há um sistema de cruzamento de dados com o INSS.

Em relação aos casos descobertos recentemente, o Previ-Rio está tomando as providências para reaver o dinheiro. "Foi aberto procedimento administrativo para levantamento mais detalhado do valor, e junto à Justiça vamos pedir para reaver", explicou.

O recadastramento ficava a cargo da Secretaria Municipal de Administração e, recentemente, passou para o controle do Previ-Rio.

Comentários