Alternativa econômica para comprar imóvel

Sem crédito imobiliário, obra por administração vira opção pela casa própria

Por O Dia

Sala de jogos do Funtastic, da ArtLar, que está sendo construído no Engenho de Dentro e parque aquático do Connect, da MR2, na Taquara, com entrega prevista para 2019
Sala de jogos do Funtastic, da ArtLar, que está sendo construído no Engenho de Dentro e parque aquático do Connect, da MR2, na Taquara, com entrega prevista para 2019 - DIVULGAÇÃO

Na dificuldade de conseguir crédito imobiliário, outra forma de adquirir o imóvel é pelo sistema de obra por administração. Neste modelo, explica Samuel Schvaitzer, diretor da Local Negócios Imobiliários, não há juros, apenas correção pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). "O comprador paga o preço de custo e pode acompanhar todo o processo da obra bem de perto e de forma transparente. No final, ele recebe as chaves e não há saldo devedor. Isso passa segurança e o resultado é um investimento rentável, pois o imóvel pronto pode custar até 40% menos", afirma.

Ele complementa, ainda, que as construtoras que investem no sistema não economizam na qualidade do empreendimento. "A ArtLar, por exemplo, não economiza no acabamento nem na qualidade dos materiais e isso não significa aumento nos custos. A fachada é toda revestida. Há pisos de porcelanato em todo o apartamento, preparação para ar-condicionado split na sala e quartos. Além disso, toda a área de lazer é planejada para o melhor aproveitamento", conta.

Schvaitzer diz que essas empresas lidam com a crise adotando estratégias para facilitar o negócio. Como, por exemplo, aceitar carro como parte do pagamento. "É o caso do Funtastic, da ArtLar no Engenho de Dentro. Temos unidades a partir de R$ 239 mil. E, dependendo do carro, o cliente parcela o imóvel sem precisar dar entrada, apenas com o valor do carro. Vale lembrar que a avaliação é de até 90% da tabela Fipe", explica.

Marco Tulio Cabral, diretor da MR2, também adaptou seu modelo de negócio para superar a crise. "Aumentamos o prazo de pagamento para caber no bolso do cliente. Em vez de 24 ou 36 meses, é possível parcelar em 48 meses. É uma alteração que vem dando certo. Outra coisa que percebemos é que, hoje, estamos vendendo mais para o consumidor final, ou seja, aquele que vai morar no imóvel. O cliente investidor está mais tímido. Agora, com uma perspectiva de juros mais baixos, pode ser que eles voltem a investir", avalia. Um dos empreendimentos da MR2 pelo modelo de obra por administração é o Connect, que reúne moradia, trabalho e compras, na Taquara, em parceria com a Martinelli Construtora."Temos unidades a partir de R$ 159 mil. O empreendimento será entregue em 2019", diz.

Comentários