CONCA DÁ ADEUS APÓS 27 MINUTOS

Mesmo sem um trabalho de grande destaque, Rueda alcança os objetivos desde que chegou ao Flamengo

Por ASSINATURA REPÓRTER

Reinaldo Rueda pode conquistar na quarta-feira o primeiro título pelo Flamengo
Reinaldo Rueda pode conquistar na quarta-feira o primeiro título pelo Flamengo - Gilvan de Souza/Flamengo

Entre a euforia no momento da chegada e a desconfiança diante das oscilações, Reinaldo Rueda vai terminar o ano com uma avaliação positiva. Claro que, se conquistar a Sul-Americana, o trabalho do técnico colombiano ganha mais brilho, mas, se for levado em conta os objetivos traçados na época de sua contratação, o treinador cumpriu seu papel. Agora, a diretoria espera que ele, além da competência, comprove ser pé-quente em decisões.

Ao procurar Rueda, os dirigentes rubro-negros tinham um objetivo claro: chegar a 2018 com a perspectiva de voltar a vencer a Libertadores o clube tem apenas um título da competição, conquistado em 1981. Depois de mais um vexame na edição deste ano pela quinta vez na história, foi eliminado na fase de grupos , o trabalho de Zé Ricardo passou a ser contestado.

A queda do treinador, embora tenha ocorrido quase três meses depois, teve como principal razão o fracasso na competição continental. Rueda chegou com uma missão para 2017: garantir vaga no torneio na temporada que vem. Havia três caminhos possíveis. E, em todos, o treinador colombiano obteve bons resultados, apesar da pressão diante dos tropeços.

Na Copa do Brasil, o Flamengo, sob o comando de Rueda, eliminou o rival Botafogo na semifinal e perdeu o título para o Cruzeiro nos pênaltis. Pelo Brasileiro, já sem chances de título, o treinador conduziu a equipe ao sexto lugar, que garantiu a vaga na fase de grupos da próxima Libertadores.

A terceira alternativa seria o título da Sul-Americana, que agora se apresenta como a forma de coroar o início de trabalho. Seria uma maneira de, ainda na fase de adaptação do treinador ao futebol brasileiro, devolver certo protagonismo ao Flamengo.

Para isso, basta o colombiano confirmar a sua fama de pé-quente. O treinador venceu seis das sete finais às quais chegou no comando do Atlético Nacional.

Comentários

Últimas de Esporte