Depósito será feito hoje para 1.500 pessoas. Complemento de quem recebe mais não tem data prevista

Por O Dia

Rio - Após o estado quitar os atrasados de outubro e o 13º de 2016, entre quarta e quinta-feira, com parte do empréstimo de R$ 2,9 bi do BNP Paribas, a expectativa do funcionalismo agora é pelos próximos pagamentos. E, hoje, 1.500 servidores ativos da Secretaria Estadual do Ambiente e Inea receberão atrasados de novembro de até R$ 5 mil, que serão depositados com recursos próprios da pasta.

Servidores ativos%2C aposentados e pensionistas enfrentaram fila para buscar cestas básicas%2C em BanguDivulgação

De acordo com comunicado enviado ontem aos funcionários, o pagamento será feito da seguinte forma: serão depositados até R$ 5 mil líquidos aos 1.500 vínculos. Quem recebe vencimentos nesse valor (ou abaixo disso), terá o salário quitado.

Os servidores que ganham mais que essa quantia vão ter R$ 5 mil na conta, e o restante do salário de novembro será quitado posteriormente ainda não há data. Segundo fontes, isso significa que 80% desses 1.500 funcionários receberão integralmente hoje.

Já a espera das demais categorias pelo salário de novembro e de todas as áreas pelo 13º de 2017 deve se estender até 20 de janeiro quando o estado prevê pagar. A estimativa é baseada na arrecadação futura e na chegada da outra parte do empréstimo, que são os R$ 900 milhões.

DEPÓSITO DO RAS

O crédito dos atrasados não incluiu o Regime Adicional de Serviço (RAS) da Segurança Pública. E a Secretaria de Fazenda ainda não tem posicionamento sobre esse depósito.

Porém, nos bastidores do governo, há expectativa de que as horas extras sejam pagas às categorias ainda este ano. 

Inicialmente, a Coluna havia divulgado que informações davam conta de que essas horas extras seriam pagas com parte do empréstimo do BNP Paribas. No entanto, a Secretaria de Fazenda ressaltou que a informação não procede, e que "os R$ 2 bilhões que chegaram ao caixa estadual foram integralmente usados para pagar os servidores".

De acordo com a pasta, R$ 1,8 bilhão foi o valor líquido da soma de todos os pagamentos realizados, acrescentando que o estado cobriu a folha bruta.

DISTRIBUIÇÃO DE CESTAS BÁSICAS HOJE SERÁ EM QUINTINO 

Mesmo com o crédito de outubro e 13º de 2016, muitos servidores relatam dificuldades para acertar as contas, tendo em vista os sucessivos atrasos. Para minimizar o sofrimento desse pessoal, a Ação da Cidadania doou cestas básicas que, com ajuda do SindpeFaetec, Sind-Degase e Sind-Justiça, estão sendo distribuídas.

Ontem, a campanha atraiu diversos funcionários à Paróquia São Lourenço, em Bangu, e foram distribuídas 296 cestas.

Hoje, as doações ocorrerão no SindpeFaetec, das 9h às 14h. O sindicato fica na Rua Clarimundo de Melo 1018, em Quintino.

Coordenador-geral da entidade, Marcos Freitas ressaltou que a medida trará "alívio" para os servidores no Natal. "A situação continua desesperadora. As cestas que montamos com a doação recebida darão alívio para o Natal de 500 famílias", disse.

O estado pagou R$ 1,2 bilhão líquido do 13º de 2016 a 249 mil ativos, inativos e pensionistas, e R$ R$ 567,8 milhões para 209 mil vínculos.

DUODÉCIMOS A PARTIR DE 2018 

Por unanimidade, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou ontem, em segunda discussão, a PEC 47, que garante a autonomia financeira das universidades estaduais. O texto determina que o estado faça o repasse mensal de verbas à Uerj, Uezo e Uenf por meio de duodécimos.

Essa transferência ocorrerá gradualmente: em 2018, o Executivo terá que transferir, como duodécimo, no mínimo, 25% do orçamento previsto para as instituições de ensino; em 2019, 50% do valor; e a partir de 2020, 100% do que é previsto. A proposta foi assinada por 43 deputados estaduais e será promulgada hoje.

Os servidores das universidades e representantes sindicais marcaram presença na Casa e comemoraram o resultado da votação. "É uma vitória que incide sobre a autonomia na gestão do orçamento da universidade", declarou o presidente da Asduerj, Guilherme Vargues.

"Esse é o único caminho para se ter uma universidade de qualidade com gestão capacitada", argumentou Luiz Paulo (PSDB). Até mesmo deputados da base do governo não foram contrários à proposta, e deixaram claro que houve acordo com o Executivo.

 

Últimas de _legado_Notícia