'Ele temvontade de viver a sexualidade', diz o ator

Por O Dia

Rio - O personagem do ator Mikael Marmorato, o Juca, em 'Malhação - Viva a Diferença', é definido com um 'nerd com ambições de galã'. "Ele é virgem, mas os assuntos sexuais lhe interessam muito. Ele tem vontade de viver a sexualidade e de se envolver com alguém", esclarece Mikael.

Mikael MarmoratoDivulgação

Ao mesmo tempo que o enredo do personagem aborda o despertar da sexualidade, também fala de um menino romântico que está disposto a encontrar alguém especial para gostar. "Existem várias formas de se ver a vida. Acho que o que todos querem é achar alguém que compartilhe e que combine com seu jeito de ser", filosofa.

Ele revela que usou como inspiração para Juca muito do que viu na adolescência. "Ainda existe muita pressão entre os jovens com relação à virgindade. O personagem sofre essa pressão. Mas acredito que é bom não deixar que isso seja mais importante do que realmente é".

Na trama, Juca tem se dedicado ao vlog 'Diário de Um Garoto Virgem', falando dos anseios de um menino tímido. Mikael, de 19 anos, salienta que essa troca no mundo virtual, tão comum a sua geração, pode ajudar muitos jovens a passar por fases difíceis. "A internet tem esse poder de unir pessoas com as mesmas questões, os mesmos pensamentos e criar uma troca de experiências. Um pode ajudar o outro", diz.

Ele também confidencia que se identifica com o personagem. "Sou um pouco tímido, tenho em comum com ele o prazer pelo estudo e compartilho do jeito atrapalhado", diverte-se.

No folhetim adolescente, Juca está mais ligado a Benê, personagem da atriz Daphne Bozask, que também sofre para expressar suas emoções. Será que vai pintar romance?

"A relação dos dois é muito bonita, se enxergam um no outro em alguns pontos. Não sei se daí vai sair algo, mas sendo um romance ou uma amizade, é muito interessante", desconversa.

ARTISTA DESDE SEMPRE

Atuando desde a infância e com trabalhos de publicidade, no cinema e no teatro, Mikael só lembra de ter sentido a vocação para a arte. "Com 5 anos, dizia para minha mãe que queria ser ator. Com essa idade, fiz meu primeiro teste e veio o primeiro trabalho. Nunca mais parei". Mas ele quer ir além da interpretação. E divide seu tempo entre as gravações, a faculdade de Letras na USP e os ensaios da banda Guarda Nacional, da qual é vocalista, guitarrista, tecladista e compositor. "Adoro escrever. É uma ótima forma de por as ideias no lugar, de se expressar", diz. "A banda existe há pouco mais de três anos. Tocamos rock n'roll com influências do rock mais clássico".

Assumidamente estudioso, Mikael gosta de se aprofundar. "Comecei a tocar piano com 8 anos e fui me interessando por teoria musical e por outros instrumentos. Até hoje, sempre busco saber mais sobre música. Quanto mais, melhor", garante.

 

Últimas de _legado_Notícia