Tensão nas Coreias aumenta

Operação aérea dos EUA e Coreia do Sul enfurece rival, que considera guerra iminente

Por O Dia

Operação aérea Vigilant Ace é a maior até hoje entre EUA e Coreia do Sul, e vai durar até sábado. Coreia do Norte considera ser provocação
Operação aérea Vigilant Ace é a maior até hoje entre EUA e Coreia do Sul, e vai durar até sábado. Coreia do Norte considera ser provocação - AFP/Força Aérea dos EUA

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul iniciaram ontem uma grande operação militar conjunta, que a Coreia do Norte considerou como "provocação total" que pode levar a uma guerra nuclear "a qualquer momento".

O exercício aéreo batizado de Vigilant Ace envolve mais de 230 aviões e milhares de soldados e acontece durante os próximos quatro dias.

"É uma provocação aberta, em todos os níveis, contra a Coreia do Norte. Os belicistas americanos e sua marionete sul-coreana fariam bem em recordar que seu exercício militar será tão estúpido como um ato que precipita sua autodestruição", afirmou o jornal estatal norte-coreano 'Rodong'. O ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte também acusou o governo de Donald Trump de "querer a guerra nuclear a qualquer preço".

A simulação aérea foi iniciada menos de uma semana depois do novo teste de um míssil balístico norte-coreano supostamente capaz de atingir quase todo o território dos Estados Unidos.

Discurso hostil

No sábado, o assessor de Segurança Nacional de Donald Trump, general McMaster, alertou que a probabilidade de uma guerra com a Coreia do Norte "aumenta a cada dia". Já o senador americano Lindsey Graham disse que o fantasma de uma guerra preventiva fica mais próximo cada vez que Pyongyang testa um míssil ou uma bomba nuclear. "O governo Trump quer tem impedir que a Coreia do Norte adquira a capacidade de atacar os Estados Unidos com um míssil com cabeça nuclear, não só de controlá-la. Se houver um teste nuclear subterrâneo, será necessário se preparar para uma resposta muito séria dos Estados Unidos", ponderou o congressista republicano.

O secretário-geral adjunto da ONU para Assuntos Políticos, o americano Jeffrey Feltman, realizará entre hoje e sexta-feira uma visita oficial à Coreia do Norte, anunciou nesta segunda-feira o porta-voz das Nações Unidas, Stéphane Dujarric.

Trata-se da primeira visita de Feltman a esse país desde que assumiu sua função em 2012, detalhou a ONU.

Galeria de Fotos

This picture taken on December 3, 2017 and released from North Korea's official Korean Central News Agency (KCNA) on December 4 shows a rally by army-civilian to celebrate the successful ICBM test-fire in South Hamgyong, North Korea. / AFP PHOTO / KCNA VIA KNS / STR AFP/KCNA VIA KNS
Operação aérea Vigilant Ace é a maior até hoje entre EUA e Coreia do Sul, e vai durar até sábado. Coreia do Norte considera ser provocação AFP/Força Aérea dos EUA

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência