Susto no metrô de Nova York

Bangladeshiano levava bomba caseira que explodiu antes, ferindo três. Ele foi preso

Por O Dia

incidente
incidente - afp

Um homem detonou uma bomba caseira em um túnel do metrô nova-iorquino ontem de manhã, ferindo três pessoas. "Foi uma tentativa de ataque terrorista", declarou o prefeito Bill de Blasio. A explosão ocorreu na hora do rush matinal, em um túnel do metrô que liga a Times Square, famoso ponto de teatros, lojas e turismo, ao Terminal Rodoviário de Port Authority.

A explosão foi provocada por Akayed Ullah, 27 anos, morador do Brooklyn e que carregava "um explosivo rudimentar", indicou o chefe de polícia, James O'Neill. Ele teria emigrado de Bangladesh há sete anos. O suspeito foi preso com queimaduras, acrescentou O'Neill. Três pessoas ficaram feridas sem gravidade.

O terminal rodoviário foi rapidamente evacuado, os acessos ao bairro foram bloqueados, e várias linhas do metrô que passam pela área tiveram seu serviço imediatamente interrompido.

"Quando se ouve uma bomba em uma estação de metrô, esse é um dos nossos piores pesadelos, mas a realidade foi melhor do que temíamos", admitiu o governador de Nova York, Andrew Cuomo.

Segundo as autoridades, a bomba teria sido detonada de forma prematura. O ex-chefe da polícia de Nova York, Bill Bratton, declarou ter sido informado que o suspeito agiu em nome do Estado Islâmico. Essas informações ainda não foram confirmadas.

Citando fontes policiais, o 'New York Post' indicou que o suspeito era um ex-motorista de táxi e disse aos policiais ao ser detido que agiu para se vingar "dos bombardeios" em seu país, sem dar mais detalhes.

O incidente de ontem ocorre menos de seis semanas após o atentado de 31 de outubro. Em pleno Halloween, um uzbeque atropelou e matou oito pessoas numa ciclovia no sul da ilha. Ele está preso e pode pegar perpétua.

Galeria de Fotos

incidente afp
Policiais patrulham a entrada de uma das estações fechadas no ataque AFP/Bryan R. Smith

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência