Disney compra parte do cinema da Fox

Império, que já contava com os heróis do Vingadores, cresce com mundo do X-Men

Por O Dia

Propaganda do novo 'Guerra nas Estrelas' em Times Square
Propaganda do novo 'Guerra nas Estrelas' em Times Square - Drew Angerer/Getty Images/AFP

O grupo Walt Disney oficializou a compra de parte do 21st Century Fox ontem, deixando o mundo do entretenimento em polvorosa. O acordo bilionário inclui o estúdio de cinema e a produtora de TV, além de canais como FX e National Geographic. O negócio pode transformar o setor de mídia e entretenimento e lançar um desafio à Netflix e a outras plataformas de streaming.

A transação, de 52,4 bilhões de dólares (R$ 175 bilhões) em ações, também reduz consideravelmente o império midiático da Fox construído por Rupert Murdoch. O magnata de 86 anos e seus dois filhos vão ficar com um grupo mais concentrado, com emissoras de televisão da empresa, a Fox News e os canais esportivos. A Disney já era dona do canal ABC e da ESPN.

Mas o que isso quer dizer? Agora a Disney possui os direitos cinematográficos das franquias 'Deadpool', 'Quarteto fantástico' e 'X-men', personagens da Marvel antes licenciados à Fox.

Antes da compra, nem todos os heróis da Marvel podiam fazer parte do mesmo universo no cinema, já que os seus direitos pertenciam a empresas diferentes. Mas agora isso acabou. Quadrinhos como 'Vingadores vs X-Men' poderão ser adaptados para o cinema, uma vez que, com a fusão das empresas, 'X-Men' e "Vingadores' são ambos da Disney.

Mas também pode ser que aconteça alguma confusão. Josh Brolin tem papéis importantes em duas produções que vão estrear em 2018. Ele será o supervilão Thanos, em 'Vingadores: Guerra Infinita', que é tocado pela Marvel-Disney. E também será Cable, em 'Deadpool 2', que era da Fox.

O grupo Walt Disney também passa a ser dono das séries 'Uma Família da Pesada' e 'Os Simpsons' e de produtos para uma faixa etária mais alta, como 'American Horror Story' e 'Homeland'.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência