Aristóteles Drummond, colunista do DIA - Divulgação
Aristóteles Drummond, colunista do DIADivulgação
Por Aristóteles Drummond Jornalista

Surgiu um caso raro de político com quase 30 anos de mandatos, de expressão nacional, que se reciclou, assumindo uma postura moderna, transparente e realista. Trata-se do prefeito de Manaus, pela terceira vez, Arthur Virgílio, que foi deputado e senador com destaque. Não pode ser considerado um político apenas amazonense na medida em que estudou e se formou no Rio, começou como diplomata e morou boa parte de sua vida em Brasília. Mas vê o Brasil com a visão do nortista que sabe a importância da boa gestão na qualidade de vida do povo, independentemente de partidos ou de ideologias.

Cresceu na oposição ao regime militar seu pai foi cassado , mas exalta com naturalidade a criação da Zona Franca por Castelo Branco e Roberto Campos como ponto decisivo para o progresso que a região alcançou. E hoje quer expandir o projeto, mais voltado para alta tecnologia, com a criação de centro de estudos científicos e tecnológicos de ponta, formando mão de obra de primeira qualidade para este segundo salto. Assume defender um estado que oriente o progresso, seja de forma mais simples, no cobrar, e mais transparente, no gastar e garantir Educação, Saúde e Segurança. Acredita no setor privado para alavancar o desenvolvimento econômico e social, permitindo, assim, que o Brasil passe a competir com os países que estão crescendo muito mais do que nós, na América Latina e no resto do mundo.

Na palestra que fez na Associação Comercial do Rio, empolgou pela forma objetiva, clara e insofismável de como deseja um Brasil sem apelações demagógicas. Confessou o desejo de lutar por uma candidatura presidencial, mas, confiando na maturidade da sociedade e do próprio povo, exclui de seus posicionamentos o elemento do "dar voto ou não". "Quero ser diferente, não quero iludir ninguém com promessas que não podem ser cumpridas. Não quero avançar buscando a atender a todo mundo, pois isso é impossível", afirmou. Ao fim de tal declaração, a presidente Ângela Costa não se conteve e o aplaudiu em meio a palestra. Arthur Virgílio ainda terminou dizendo que, se disputar e perder por falar a verdade, não se importará. Ficaria sem dormir se vencesse uma eleição mentindo.

Os empresários que acompanham a política nacional com interesse, como o vice da ACRJ, Josa Nascimento Brito, saíram convencidos de que, com a nova legislação e a busca da sociedade por uma novidade, mas sem riscos, o prefeito de Manaus pode ser um ator de destaque. Pode, inclusive, deixar o seu partido, o PSDB, cujo novo programa, proclamado de "esquerda", o desagradou por ser ultrapassado no mundo da competição.

Se eleito, será o primeiro presidente do Amazonas!

Você pode gostar
Comentários