Segurança Presente: programa para o cidadão

Por Capitão PM Jan van Creveld Monteiro Subcoordenador do Centro Presente

Capitão PM Janvan Creveld Monteiro - Subcoordenador do Centro Presente
Capitão PM Janvan Creveld Monteiro - Subcoordenador do Centro Presente - Divulgação

As Operações Segurança Presente são um programa do governo do Estado do Rio integralmente voltado para o atendimento público na área de segurança e bem-estar social, criado pela Secretaria Estadual de Governo, com atuação de policiais militares e agentes treinados, visando ao atendimento à população do Rio.

A busca pela paz social é o objetivo do projeto, aliando políticas públicas de serviço social, com profissionais especializados que já atenderam a mais de 10 mil casos de acolhimento e encaminhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade, bem como na atividade de policiamento ostensivo, com cerca de seis mil prisões em flagrante nas áreas onde atuam Méier, Lagoa, Aterro e Centro.

No Centro da cidade, o impacto na segurança é bem significativo: em um ano e cinco meses, mais de 600 foragidos do sistema penal foram capturados, e mais de três mil pessoas foram presas por crimes diversos. Fatos como este consolidam o objetivo primário da operação, que é o de devolver o direito de ir e vir aos moradores e frequentadores destes bairros atendidos.

As exitosas ações de policiamento e assistência social das operações Segurança Presente demonstram a inovação que o programa trouxe para o cenário da segurança pública no país, através da legalidade, legitimidade e pró-atividade dos agentes e gestores envolvidos neste novo conceito.

Com origens assentadas nas operações Lei Seca e Lapa Presente e através do apoio de recursos do Sistema Fecomércio-RJ, foram inauguradas as demais operações, que hoje ganham destaque devido ao apoio popular e uma estatística que afirma o compromisso público dos policiais e agentes civis que atuam diuturnamente para servir à população do Estado do Rio de Janeiro.

Os resultados positivos das Operações inspiraram as prefeituras do Rio e de Niterói a lançar programas similares de reforço à segurança. Também se inspirou o Estado de Alagoas, que levou o modelo para a capital, Maceió.

Cabe ainda salientar que todo controle e o gerenciamento operacional das operações são realizados por oficiais da Polícia Militar e por técnicos da Secretaria Estadual de Governo, em caráter estritamente público.

Comentários

Últimas de Opinião