Anselmo e João

Por Roberto Muylaert Editor e jornalista

-

Vivemos um momento em que merecem capa de revista no Brasil os bandidos de colarinho branco e os assassinatos sem fim, dentro e fora dos presídios. As mortes violentas equivalem à plateia de um Pacaembu lotado a cada ano. Já pensou fotografar mais de 50 mil pessoas entrando no estádio no início do ano, sabendo que não terá sobrado ninguém no fim?

Por isso mesmo, é uma alegria ver na capa da revista de maior circulação do país João Gilberto, um dos nomes mais destacados do Brasil, por tudo que fez por nossa música, com reconhecimento global que raros brasileiros conquistaram.

Agora vamos ao conteúdo: João foi o inventor da batida da bossa nova, e cantou, com estilo elegante e sussurrante, as melhores canções do gênero, que, em seu conjunto, foram uma explosão de inspiração em músicas e letras intimistas que conquistaram o mundo. A matéria ressalta que a bossa nova modernizou o samba, mas, "como modernidade não prescinde de tradição", o repertório de João foi abrangente, resgatando compositores como Ary Barroso.

Mas o grande mérito dessa reportagem de capa é que ela não se debruça sobre os problemas que o músico vive no momento, como fizeram outras publicações.

Quem viveu a época do lançamento de 'Chega de Saudade' nunca mais esqueceu daquele momento mágico em que, já nos primeiros acordes, dava vontade de chorar.

A batida que ele inventou, o mundo todo acompanhou.

Antes, o samba brasileiro, quando chegava às bandas norte-americanas, virava rumba, e 'brasileiros' com chapéu de mexicano eram o símbolo da nossa música.

Hoje a bossa nova funciona como prima-irmã do jazz, frequentando, como trilha sonora, os ambientes mais sofisticados do mundo.

Nem sempre a musicalidade de João foi bem recebida, sendo que até hoje existe gente dizendo que "ele é chato". É que João parece estar repetindo a música por diversas vezes, quando na verdade está recompondo a melodia a cada vez.

O incrível é que existe no Rio de Janeiro um músico que tem o violão igual ao do João, e uma voz que às vezes se parece muito com a dele.

Se quiser gravar com ele, é só procurar Anselmo Rocha. Mas como ele é mesmo muito parecido com João, difícil será encontrá-lo.

Galeria de Fotos

Roberto Muylaert, colunista do DIA Divulgação

Comentários

Últimas de Opinião