Na Baixada, estado das DPs é caótico

Por O Dia

Nas DPs da Baixada a situação é ainda mais crítica, segundo o SindPol. "A maioria das DPs de lá estão caindo aos pedaços. É caótico. Os policiais reclamam de infiltrações, ar-condicionado quebrado e problemas nos computadores. O pouco efetivo também é muito preocupante", declarou o diretor do sindicato, Fernando Bandeira. Atualmente a Civil possui 9 mil policiais, quando o quadro prevê cerca de 23 mil.

Nos últimos 10 anos, a Secretaria de Segurança Pública recebeu cerca de R$ 40 bilhões. No entanto, desde 2015, o repasse está sendo reduzido. Em 2016, o governo do estado liberou cerca de R$ 10 bilhões para a manutenção do efetivo de segurança. Já neste ano, foram R$ 8,2 bilhões.

"Houve uma redução muito drástica nos investimentos por conta da crise. Evidentemente isso afeta a Segurança Pública. O policial tem menos recursos para trabalhar, tem menos motivação, e isso ainda piora com o fim de pagamento das metas", destacou Ignácio Cano, doutor em sociologia e professor da Uerj.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública afirmou, por telefone, que não iria se pronunciar. Segundo a pasta, a reportagem deveria procurar a Secretaria de Fazenda e a Polícia Civil. Até o fechamento desta edição, a Secretaria de Fazenda não havia se manifestado. Já a Polícia Civil, disse que só deveria ter um posicionamento hoje.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro