Menino sonhava em tirar a família de perto do Juramento

Criança foi morta com um tiro no peito

Por GUSTAVO RIBEIRO

A dor da mãe que perdeu o filho de 10 anos assassinado no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, ficou gravada em uma frase na camisa que ela usou no velório ontem: "Mamãe te ama muito, meu eterno filho". Ana Paula Carvalho de Oliveira, 35, desmaiou e não conseguiu acompanhar o enterro até o fim, no Cemitério de Inhaúma. O menino tinha ido comprar sacolé com um amigo na tarde de domingo quando foi atingido por dois homens que passaram de moto disparando a esmo. Testemunhas relataram que os criminosos usavam capacete e um tiro acertou o peito de Eduardo Henrique de Carvalho.

"Não tinha confronto. Eu estava na rua com minha filha de 4 anos. O coleguinha veio e meu filho ficou lá morto. É uma ferida que não vai fechar mais. Tem que ter justiça", suplicou a mãe, que ficou esperando Eduardo na esquina de casa enquanto ele ia comprar o sorvete.

Ana Paula lamentou que o filho não poderá realizar seu sonho: ser bombeiro e comprar casa para a família fora da comunidade, que enfrenta disputa de facções há mais de três meses. A mãe lembrou que não o deixava sair sozinho na rua e que ele tinha acabado de passar para o 5º ano. Os colegas da Escola Municipal Mato Grosso, em Irajá, disseram que ele estava animado para a festa de fim de ano, agendada para hoje. "Vai ser muito triste o Eduardo não poder comemorar", disse um amiguinho.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro