Justiça suspende aposentadoria de Jonas Lopes e escolha de conselheiro do TCE

Decisão é do juiz Eduardo Klausner, da 7ª Vara de Fazenda Pública. Ex-presidente do TCE admitiu receber propina e foi delator na Lava Jato

Por ADRIANO ARAÚJO

A 7ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) suspendeu a aposentadoria de Jonas Lopes de Carvalho Júnior, ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que admitiu receber propina de empresários enquanto ocupava o cargo e foi delator do desdobramento da Lava Jato no Rio.

Na mesma sentença, o juiz Eduardo Antonio Klausner também suspendeu a votação para eleger o novo conselheiro Rodrigo Melo do Nascimento, prevista para a tarde desta quinta-feira.

Antes, o governo havia indicado o deputado Edson Albertassi, que desistiu da vaga após a péssima repercussão da indicação do governo e foi preso dias depois pela operação Cadeia Velha.

Na decisão, o juiz Eduardo Antonio Klausner disse que a aposentadoria de quase R$ 50 mil era uma forma de burlar uma possível cassação e e continuar recebendo benefício. A suspensão se aplica até o julgamento da ação penal contra Jonas Lopes no Superior Tribunal de Justiça.

A delação premiada de Jonas Lopes de Carvalho Júnior, assim como a de seu filho, o advogado Jonas Neto, serviram como base da investigação da Polícia Federal (PF) que resultou na operação Quinto do Ouro, que levou à prisão cinco dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), em março deste ano, por corrupção envolvendo esquema de venda de decisões na Corte.

Comentários