PF apreende 280 quilos de cocaína

Droga foi interceptada na alfândega do Porto do Rio e estava armazenada em um contêiner que iria para Espanha

Por O Dia

Black, cão farejador da Polícia Federal, detectou a droga nas malas
Black, cão farejador da Polícia Federal, detectou a droga nas malas - DIVULGAÇÃO

Cerca de 280 quilos de cocaína foram apreendidos na alfândega do Porto do Rio de Janeiro na manhã de ontem, pela Polícia Federal (PF), em conjunto com a Receita Federal. A droga estava em um contêiner que levava material de construção para a Espanha.

A cocaína foi detectada com o auxílio do cão farejador da corporação, o Black. Os policiais federais suspeitaram do alto valor declarado para uma carga descrita como material para construção e interceptaram as malas. A droga estava escondida no interior delas, atrás de blocos de concreto pré-fabricados.

Segundo a Polícia Federal, chamou atenção a tentativa frustrada de dificultar a detecção da droga, pois os tabletes da cocaína apreendidos estavam envolvidos com uma espécie de material plástico contendo orégano. A apreensão foi levada para a Superintendência da Polícia Federal.

MAIS APREENSÃO NA MARÉ

Em uma operação na comunidade da Nova Holanda, no Complexo da Maré, equipes do Batalhão de Ações com Cães (BAC) encontraram drogas em um prédio abandonado, na Rua João Araújo. Os policiais apreenderam 10 sacos de erva seca de 3kg, 200 trouxinhas de maconha, 109 barras de maconha, 724 tabletes pequenos de maconha, quatro sacos de pó branco, 995 pinos de cocaína, 99 bolinhas de haxixe, 83 pedras de crack e oito comprimidos de ecstasy. A ocorrência foi encaminhada para a 21ªDP.

No Parque União, policiais do Batalhão de Polícia de Choque prenderam um homem apontado como segurança do tráfico de drogas ligado a facção que comanda o crime no Complexo da Maré. Jonathan Almeida Leite, o Gordinho, tinha mandado de prisão em aberto, e foi preso, por meio de informações ao Disque Denúncia, pelos crimes de associação, produção e tráfico de drogas. A recompensa para captura dele, que já era procurado desde abril de 2016, é de R$ 1 mil. Segundo o Portal Procurados, além da segurança, Jonathan também atuava na contenção dos pontos de venda de drogas.

As operações no Complexo da Maré estão sendo realizadas desde o início da semana. Na segunda-feira, policiais apreenderam cerca de duas toneladas de drogas, um fuzil e outras armas.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro