Um olho na festa e outro no céu

Com clima de feriado, Copacabana já está lotada de visitantes. Para a virada, há previsão de chuva

Por GUSTAVO RIBEIRO

O casal boliviano José Eduardo Vargas e Silvana Jordan já circula por Copacabana, à espera do Réveillon
O casal boliviano José Eduardo Vargas e Silvana Jordan já circula por Copacabana, à espera do Réveillon - fotos de Daniel Castelo Branco

Mesmo com tempo fechado e chuva fraca, o clima na Orla de Copacabana ontem já era de festa com cariocas e turistas ansiosos para dar as boas-vindas a 2018 no Réveillon mais famoso do Brasil. A previsão do Sistema Alerta Rio para o dia 31 na cidade aponta a possibilidade de pancadas chuva a qualquer hora, sobretudo à tarde e à noite, com raios e ventos de moderados a fortes, mas os convidados que já começaram a chegar mantém a animação em alta e só estavam preocupados em lavar a alma na virada. Hoje, já começam os shows no palco instalado na altura do Copacabana Palace, com a Orquestra Tabajara, de 21h às 23h.

Enquanto, na estrutura montada na areia, funcionários puxavam cabos daqui e testavam dali, o casal de argentinos Marcos Visentin e Yanette Hugo, ambos de 30 anos, aproveitou o primeiro dia no Rio para se refrescar do calorão com banho de mar, mesmo com céu nublado. "Copacabana é incomparável com qualquer lugar do mundo. Não importa o tempo fechado. Estamos realizando nosso grande sonho de 2018, que é passar o Réveillon aqui", vibrou Yanette.

A boliviana Silvana Jordan terá motivos em dobro para comemorar o show pirotécnico de 17 minutos: ela completa 30 anos no dia 1º. Ontem, fez selfies com o marido na frente do castelo de areia na orla. "Viemos com um grupo de 15 pessoas de Santa Cruz, na Bolívia. Estamos empolgados para assistir aos fogos e compartilhar essa experiência incrível em Copacabana com a família", disse ela. O casal ainda nem sabe quais são os artistas que irão se apresentar, mas vai chegar três horas antes da meia-noite à praia para aproveitar todos os momentos.

Vários braços trabalham direta ou indiretamente para garantir a satisfação do público, estimado em 3 milhões de pessoas. Funcionários de operadoras de telefonia móvel instalaram ontem superantenas na calçada oposta à praia para reforçar a oferta de sinal. Isso reduz o risco de não conseguir trocar mensagens ou fazer e receber ligações na noite da virada, já que o sinal costuma ficar congestionado devido à alta da demanda. As balsas de fogos serão vistoriadas na Ilha do Governador hoje às 10h.

O catador de latas Sebastião José Thomaz, 51, presta sua contribuição para deixar a areia limpa. Morador de Belford Roxo, revelou que, só no Réveillon, fatura até R$ 2 mil com a venda do alumínio para reciclagem. A solidariedade aflorada nessa época do ano era expressada em cada banhista que esticava o braço para entregar suas latinhas. "Venho com quatro amigos. Enquanto a gente vem recolhendo, um toma conta do monte", explicou. Os desejos de Sebastião para 2018 representam os de muitos brasileiros: "Ter um serviço melhor e dar uma vida tranquila para minha família."

O tempo deve ficar instável, com pancadas de chuva a qualquer hora, de hoje até segunda, informou o Alerta Rio. No último dia do ano, a previsão é de calor, com temperatura em elevação.

Galeria de Fotos

Movimentação na orla de Copacabana para o Reveillon, já existe um grande número de pessoas circulando pelo bairro. Os turistas da Argentina Marcos Visentin e Yanette Hugo estão curtindo a cidade do Rio. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
O catador de latinhas Sebastião José Thomaz revela que fatura até R$ 2 mil na festa da virada Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
O casal boliviano José Eduardo Vargas e Silvana Jordan já circula por Copacabana, à espera do Réveillon fotos de Daniel Castelo Branco

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro