Não houve ato intencional em acidente que matou Teori Zavascki, diz PF

Investigação não foi concluída. Ministro morreu em uma queda de avião em janeiro de 2017

Por Estadão Conteúdo

Ministro Teori Zavascki era relator da Lava Jato
Ministro Teori Zavascki era relator da Lava Jato - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Brasília - O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia e o delegado da PF Rubens Maleiner, que preside o inquérito sobre o acidente, se encontraram, nesta quarta-feira, com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, para apresentar o andamento das investigações sobre o acidente aério que matou o ministro Teori Zavascki e outras quatro pessoas, em janeiro de 2017.

Embora a investigação não esteja concluída, já se pode descartar as hipóteses de ato intencional ou sabotagem ao avião que levava o ministro relator da Lava Jato. O delegado acrescentou que a apuração está em estágio bastante avançado.

"A possibilidade de um ato intencional contra aquele voo foi bastante explorada, em diversos exames periciais, e nenhum elemento nesse sentido foi encontrado", disse o delegado. Para fechar a conclusão da causa do acidente, Maleiner afirmou que são necessárias mais algumas perícias.

Quando questionado se a hipótese mais provavél para a queda seria a de falha humana, o delegado apenas afirmou que estão avançando. "Existe um conjunto de fatores que podem ter levado àquele desfecho, que dizem respeito a condições meteorológicas, trajetórias e alturas desempenhadas pelo piloto naquela tentativa de aproximação para Paraty, e a condição de voo pelo visual e pela questão instrumental", completou.

O caso é investigado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (Cenipa) e pela Polícia Federal de Andra dos Reis.

Maleiner explicou, nesta quarta-feira, que as duas linhas de investigações tendem a ser independentes "ao máximo". "A Cenipa tem fins exclusivamente preventivos, já a da PF tem um fim de elucidação do fato para investigar eventuais condutas de pessoas que possam ser apontadas como responsáveis por aquele resultado", disse.

Entenda o acidente

A aeronave prefixo PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, e a Marinha foi informada da queda às 13h45. O avião caiu perto da Ilha Rasa, em Paraty (RJ), a 2 km da cabeceira da pista do aeroporto onde pousaria.

Além do ministro Teori, morreram no acidente o empresário Carlos Alberto Filgueiras, dono da avião, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maíra Panas e sua mãe, Maria Hilda Panas Helatczuk.

 

Comentários

Últimas de Brasil