Para Dilma, Lula está sendo perseguido

Por O Dia

Dilma discursou para simpatizantes de Lula em Porto Alegre
Dilma discursou para simpatizantes de Lula em Porto Alegre - AFP/Carl DE SOUZA

A ex-presidente Dilma Rousseff, que participa desde segunda-feira das manifestações a favor de Lula, afirmou ontem que o petista "está sendo condenado, mesmo sendo inocente" e que ele tem sido "perseguido sem perdão" pela Justiça. "Enquanto isso, outros (políticos) com gravações e malas de dinheiro estão protegidos e não estão submetidos à Justiça e podem disputar as eleições!", criticou.

Durante ato promovido pelas mulheres do PT, em Porto Alegre, Dilma defendeu que o aliado "não é um radical", e, sim, "uma pessoa que não negocia suas convicções". A presidente do PT, Gleisi Hoffman, também participou e discursou.

"O lado dele é o povo", declarou a ex-presidente do alto de um carro de som colocado em frente à Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Dilma afirmou ainda que, por causa da sua crescente popularidade, "antes Lula tinha que ser destruído, agora tem que ser aniquilado". "É um processo de perseguição política", disse sobre o caso do triplex do Guarujá (SP).

"Não tem nada que demonstre o que o presidente fez. Aliás, o juiz diz que não é preciso ter um ato. É o que ele pensa, mas não é o que diz a lei", ponderou, fazendo referência ao juiz Sergio Moro. Ela reforçou que Lula não recebeu o triplex da construtora OAS.

Dilma destacou que o PT não tem outra opção de candidato para a Presidência da República, caso Lula seja condenado e tenha sua candidatura inviabilizada. "Nós achamos que Lula é inocente e por isso não temos plano B. Ter plano B quando se trata de um inocente é covardia", finalizou.

Comentários

Últimas de Brasil