#TôNaFeira: o point do biscoito e do queijo coalho

coalho É a barraca Guarabira, comandada por Vando, sujeito arretado e trabalhador

Por O Dia

Fotos da coluna #tônafeira de 12 de janeiro de 2018
Fotos da coluna #tônafeira de 12 de janeiro de 2018 - Divulgação

Rio - Edvando de Freitas Costa, de 37 anos, mais conhecido como Vando Guarabira, é o nosso personagem de hoje. É um paraibano arretado de Lagoa Seca, da barraca Guarabira. E ele vende mais de 30 tipos de biscoito, 12 tipos de tipo de queijo e diversas manteigas: a cremosa, de pote, de garrafa.

"Estou na Feira desde 1996. Puxei lona lá fora, quando tínhamos menos tempo de feira. Era uma adrenalina, mas entramos para o pavilhão e não troco isso aqui por nada. O nome da barraca veio porque já morei nessa cidade (na Paraíba) e um ex-funcionário nosso foi homenageado", diz o feirante. "O queijo coalho é nosso carro chefe. E o biscoito que mais vende é o Três de Maio. O segredo da venda é a acolhida. O cliente põe o pé na barraca e se sente no Nordeste. Para voltar tem que ter aquela provinha, desconto, mercadoria de boa qualidade e um cafezinho coado na hora", diz, rindo.

O feirante diz que o seu segredo é o trabalho e quando se faz o que gosta o sucesso vem. "Desde 16 anos enfrento a lida na Feira. Sinto-me realizado, tudo o que eu tenho consegui com meu trabalho aqui. É só plantar", finaliza Guarabira.

Comentários

Últimas de Diversão