Cleo (Giovana Cordeiro) em 'O Outro Lado do Paraíso' - fotos Raquel Cunha/TV Globo
Cleo (Giovana Cordeiro) em 'O Outro Lado do Paraíso'fotos Raquel Cunha/TV Globo
Por Gabriel Sobreira

Rio - Giovana Cordeiro, 21, está animada com a próxima reviravolta de sua personagem, a Cléo de 'O Outro Lado do Paraíso', da Globo. Na trama de Walcyr Carrasco, a neta de Mercedes (Fernanda Montenegro) volta a trabalhar como prostituta no bordel de Pedra Santa. A garota até terá um cliente fixo, Xodó (Anderson Tomazini), que se encantará pela beleza da jovem.

"A avó é quase uma santa. E se ela seguir por esse caminho, é bem louco. Eu acho que ela tem uma ambição. Não sei até onde ela iria com a ambição dela de querer mudar de vida, mas eu acho possível. Para mim, como atriz, vai ser maravilhoso se isso acontecer, se essa transição acontecer, poder mostrar isso", diz Giovana.

Na trama, o convite para trabalhar como garota de programa veio por meio de Leandra (Mayana Neiva). A garota fica tentada com a proposta, pois acha a vida que leva na casa da avó muito parada e monótona. Para começar a trabalhar, Cléo espera Mercedes e Josafá (Lima Duarte) dormirem e segue escondida para o estabelecimento. O segredo não dura muito e Caetana (Laura Cardoso) novamente tenta avisar Mercedes. Mas Leandra fará de tudo para impedir.

Nas sequências gravadas na fictícia casa de prostituição, Giovana diz que existe um cuidado da parte de todos os envolvidos. "Foi tudo muito conversado para não entrar no caricato no bordel, para não entrar num lugar de alegria fantasiosa, porque não é. Têm as suas dores, os seus momentos, tem a dignidade, tem o respeito também, o respeito com o corpo da mulher, porque ali é o trabalho dela", explica.

Para compor a personagem, a carioca viu muitos documentários, filmes e conversou com garotas que se prostituem. "O que mais me pegou foi ver prostituição infantil. Eu vi muita criança de 11, 13 anos, que os pais não sabiam. E elas iam por conta própria, porque uma amiga chamava. Eu vi uma cafetina que era uma menina de 16 anos, ela que fazia essa ponte. A relação com o sexo dessas meninas é diferente de uma mulher de 20 anos. Tinha meninas que perderam a virgindade no programa, e, isso é assustador. E eu acho que não tinham noção do quão grave era aquilo", afirma.

Quando questionada sobre o que ela pensa da prostituição, a atriz diz que acha que é uma profissão como qualquer outra. "Eu respeito muito. É a vida particular de cada um, como cada um vai seguir a sua vida. É difícil pra caramba, tem gente que acha que isso é uma vida fácil, é longe de ser isso. Compreendo, até porque no meu lugar de atriz, eu não julgo de jeito nenhum", ressalta a atriz.

Você pode gostar
Comentários