Thaíssa Carvalho - Thiago Bruno
Thaíssa CarvalhoThiago Bruno
Por BRUNNA CONDINI

Rio - Ela é linda, bem humorada e batalhadora. Thaíssa Carvalho, no ar como a Celeste Beyoncé de 'Apocalipse', trama das 20h da Record, celebra o convite e o momento profissional. "A vida do ator é teste em cima de teste. Para essa novela, fui convidada. É bom alguma facilidade de vez em quando", diz, aos risos.

Ela nem acompanhava redes sociais antes de fazer a personagem. Que é inspirada no visual da cantora norte-americana Beyoncé Knowles - é é uma divertida produtora de telejornal que sai de trás das câmeras para fazer sucesso como influenciadora digital. "Estou espiando mais as pessoas. Confesso que não sou muito disso, de 'stalkear'. Hoje fico de olho, sempre atentando nas gírias, para trazer algo novo para a Celeste".

A Celeste Beyoncé é super vaidosa. Já a carioca afirma ser diferente da sua personagem. "Sou vaidosa no limite". E observa: "A Celeste está um pouco no mundo da perfeição. Vou fazer 36 anos fazendo personagem de 24. Me cuido, antes respirava e estava magra, mas se der bobeira, desanda. Prezo pela saúde principalmente".

O 'mulherão' que vem na frente da sua imagem carrega a leveza que é sua marca registrada. "Entrei na carreira artística nova, porque minha mãe me colocou no curso de modelo para ter modos. Criança, era moleca. Sou até hoje, só não sou mais criança", conta.

PAIXÃO PELA MODA

Posando nas fotos desta edição em produções de bodies e maiôs que ela mesma montou, a morena acompanha as tendências. "Gosto de pesquisar. Peguei esse olho de atriz e observo. Com o tempo e com a maturidade, você entende o que fica bem em você", analisa. "Se tenho tempo, gosto de fazer minhas produções. Estou num momento de desapego, em que menos é mais. De montar looks com o que tenho em casa".

Mas não pense você que Thaíssa adere a modismos e é consumista: "Acho uma cafonice essa coisa de não poder repetir roupa. O mais bacana é você usar as peças que tem de maneira diferente. Hoje me pergunto, quando vou comprar: 'Preciso disso?'. Vivemos num país em crise", reflete. "A ideia de sustentabilidade ainda não está muito presente na cabeça das pessoas, mas isso está mudando".

Com looks sempre elogiados, ela, em muitas ocasiões, dispensa stylists para se produzir. E atribui seu senso de estilo à mãe, que costurava as próprias roupas. "Mas sou leonina e tenho tendência a pendurar tudo em mim. Depois vou tirando", faz graça.

O CAMINHO

Nascida e criada no Méier, a morena começou a fazer teatro aos 13 anos e ingressou na TV fazendo figuração. "Fiz muita participação também. É uma carreira ingrata, porque nosso estágio ninguém vê. As pessoas ralam muito pra chegar num bom personagem. Na minha carreira foi tudo batalhado", constata.

Formada em nutrição, ela conta que quando pensou em um plano B, o trajeto fluiu. "Chegou num momento que pensei em uma alternativa", lembra. E fala com orgulho do apoio que recebeu dos pais, com quem mora até hoje: "Quando me formei, pedi ao meu pai para segurar um ano para eu tentar mais a carreira. Foi quando pedi um estágio no restaurante da portaria 2, do Projac, e em nutrição. Fui dali para a novela 'Alma Gêmea'".

PERSISTÊNCIA

Inspirada, Thaíssa faz um balanço do trajeto até aqui: "Sou muito determinada. Descobri o que queria fazer muito cedo. Minha família me apoiou. É fácil desistir. Muitos amigos pararam por conta da situação financeira. Em nossa carreira, uma hora tem trabalho, outra não tem. É a profissão da persistência", reflete. "Hoje tenho uma regularidade de trabalho que me deixa tranquila. Mas não deixo minha vida nas mãos dos outros. Vou à luta".

Solteira e focada no trabalho, ela brinca com a situação: "Estou querendo achar um tempo para namorar, mas por enquanto não está rolando. Mandem cartas pro DIA", diverte-se.

Você pode gostar
Comentários