Caixa volta a dividir lucro do FGTS

Regras devem ser as mesmas do ano passado. Trabalhadores receberão crédito até dia 31 de agosto

Por MARTHA IMENES

Gilberto Occhi, presidente da Caixa, disse no ano passado que medida traz benefícios para toda sociedade
Gilberto Occhi, presidente da Caixa, disse no ano passado que medida traz benefícios para toda sociedade - Agência Brasil

Os trabalhadores com carteira assinada vão ter, mais uma vez, um reforço no saldo do FGTS. Assim como no ano passado, até o dia 31 de agosto, o governo federal vai distribuir metade do lucro do fundo para quem tinha saldo na conta ativa ou inativa em 31 de dezembro de 2017. Esta será a segunda vez que os empregados formais do país serão beneficiados pela mudança na distribuição dos rendimentos. O valor exato do repasse será conhecido após a apuração do lucro obtido no ano passado. No ano passado, foram distribuídos R$ 7,2 bilhões para 88 milhões de trabalhadores com conta do FGTS.

Este ano, a expectativa é de que, como em 2017, cerca de 245,7 milhões de contas recebam a grana extra. Somente o Rio de Janeiro, responde por 9,6% das contas do FGTS dos trabalhadores de todo país.

"O valor será calculado individualmente e será ainda proporcional ao saldo em cada conta do FGTS no dia 31 de dezembro de 2017", explicou o diretor da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), Miguel Ribeiro de Oliveira. "Será repartido um percentual igual para todos, que será aplicado sobre o que cada trabalhador tem na sua conta do FGTS".

COMO É A DISTRIBUIÇÃO

Cerca de um terço do dinheiro das contas do FGTS serve para financiar projetos de habitação, saneamento e infraestrutura. Outra parte, praticamente a metade, é aplicada em títulos do Tesouro Nacional. Em troca, o FGTS recebe juros que são somados ao seu resultado financeiro do ano.

Na conta do FGTS do trabalhador, anualmente esse dinheiro é corrigido em 3% mais a Taxa Referencial (TR), o que faz o dinheiro render menos do que a poupança. Nos últimos 17 anos, o fundo acumulou perda de quase 40% em relação à inflação medida pelo IPCA.

Para saber quanto tem na conta o trabalhador não vai precisar ir a uma agência da Caixa. Pela internet, é possível criar uma senha e ter acesso à conta do FGTS. Para fazer o cadastro, o trabalhador precisa ter em mãos RG, CPF, título de eleitor e o PIS. O acesso ao serviço é pelo site www.caixa.gov.br/extrato-fgts.

Nessa página é preciso informar o número do PIS e logo depois clicar em cadastrar a senha. Em seguida abrirá uma outra aba com o regulamento para acessar o sistema, caso concorde, marque aceito. Uma outra aba será aberta, nela devem ser preenchidos todos os campos com os dados pessoais.

Nessa fase do cadastro, o trabalhador terá que informar o número do título de eleitor. Quase lá: a senha pode ser criada com até 8 dígitos. Clique em confirmar. Para validar o acesso preencha os campos e aperte em OK. Pronto. Você já pode consultar o seu extrato do FGTS. Mas atenção: por questões de segurança, em todas essas operações é preciso marcar "não sou robô".

O trabalhador ainda tem a opção de ligar gratuitamente para 0800 726 2017.

Comentários

Últimas de Economia