Convênios têm mensalidade a partir de R$ 101 na faixa inicial

Por O Dia

Marcelo de Souza, da Flap Corretora de Seguros: 'Há clínicas populares confiáveis e de qualidade'
Marcelo de Souza, da Flap Corretora de Seguros: 'Há clínicas populares confiáveis e de qualidade' - Divulgação

Quem quiser optar por planos de saúde com preços mais em conta, pode dar uma pesquisada nos valores da Salutar e da Samoc, por exemplo. As mensalidades variam de R$ 101,95 (de 0 a 18 anos) a R$ 200 (de 29 a 33 anos), respectivamente. Na faixa acima de 59 anos de idade, que possui os preços mais altos, os valores vão de R$ 850 a (Samoc) R$ 607,95 (Salutar). "As coberturas e a rede referenciada devem ser levadas em conta antes de optar por um plano", orienta Marcelo de Souza, da Flap Corretora de Seguros, que fica no Centro do Rio.

Existem planos mais caros, acrescenta Marcelo, por isso é preciso avaliar a relação custo-benefício.

Na Assim Saúde, por exemplo, tem convênios que vão de R$ 201,23 (0 a 18 anos), passando por R$379,43, na faixa intermediária de 39 a 43 anos, e R$1.207,02 para quem tem mais de 59 anos de idade.

E na Amil, quem tem até 18 anos desembolsa R$172,71 em um plano sem coparticipação, de 39 a 43 anos a mensalidade sai a R$ 342,86 e os mais velhos (acima de 59) pagam R$ 1.031,28.

Com preços mais em conta, as clínicas com planos populares são realmente um atrativo para quem está sem convênio, mas algumas precauções devem ser tomadas para não "ficar no meio do caminho".

De acordo com Marcelo Flap, é preciso, antes de aderir a qualquer plano, procurar referências sobre o convênio que pretende contratar e se ele tem autorização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para poder funcionar.

Ainda de acordo com ele, há clínicas populares que oferecem atendimento mais barato e isso pode facilitar a vida do usuário. "Há pequenas unidades bastante confiáveis que prestam serviços de qualidade a um preço acessível e que tem autorização do Cremerj", diz.

Galeria de Fotos

Claudio Zoghbi da Coopclass Corretor antes de aderir ao plano deve-se procurar referências sobre convênio e se tem autorização da ANS Daniel Castelo Branco
Marcelo de Souza, da Flap Corretora de Seguros: 'Há clínicas populares confiáveis e de qualidade' Divulgação

Comentários

Últimas de Economia