Temer adia viagem e ataca de 'mídia man' para aprovar a PEC 287

Por O Dia

Com a falta de aliados necessários para aprovar a Reforma da Previdência no Congresso - o governo não divulga qual o balanço de votos, apenas diz que o número "está crescendo" -, o presidente Michel Temer decidiu centrar esforços para angariar mais adeptos à PEC 287. Para isso adiou a viagem que faria à Portugal no dia 1º de fevereiro para participar da XII Cimeira Luso-Brasileira no dia 2. Uma nova data será marcada para o encontro com o primeiro-ministro português, António Costa.

Segundo auxiliares, Temer quer aproveitar a semana que vem para amarrar conversas a fim de garantir que as discussões da Previdência comecem no dia 5, como está pré-estipulado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). No último final de semana, o presidente disse a auxiliares que pretende colocar o texto da Reforma da Previdência em votação mesmo sem os votos necessários, ou seja, 308 deputados.

Na avaliação do presidente Temer, em caso de derrota, o governo terá o discurso de que "fez a sua parte" e passará a responsabilidade aos parlamentares, que seriam obrigados a assumir uma postura perante seus eleitores. O discurso de que sem a reforma "não haverá aposentadorias" no futuro foi reforçado pelo presidente e seus ministros em vídeos publicados recentemente.

Além do esforço com parlamentares, Temer vai atacar de "mídia man" para convencer a população de que a reforma é necessária. Hoje começam a ser transmitidos os programas na TV aberta, que será transmitido no programa Amaury Jr, na TV Bandeirantes. Domingo é a vez de a gravação do programa do Silvio Santos ir ao ar. E na segunda o presidente aparecerá no programa do Ratinho (SBT).

Comentários

Últimas de Economia