Justiça nega pedido de Scarpa para rescindir imediatamente com o Fluminense

Com a decisão, meia seguirá vinculado ao clube até o julgamento do seu processo para desligamento do Tricolor

Por O Dia

A notícia de que Scarpa recebeu atrasados, mesmo sem se reapresentar, causou mal-estar no elenco
A notícia de que Scarpa recebeu atrasados, mesmo sem se reapresentar, causou mal-estar no elenco - NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.

Rio - O meia Gustavo Scarpa sofreu uma derrota na sua tentativa de tentar se desvincular rapidamente do Fluminense. Nesta quarta-feira, a 70ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, através da juíza Dalva Macedo, recusou o pedido de tutela antecipada do jogador, que solicita a rescisão do seu contrato com o time carioca.

Com a decisão, Gustavo Scarpa seguirá vinculado ao Fluminense até o julgamento do seu processo para desligamento do clube. "Existe perigo de que a tutela de urgência pretendida se torne irreversível, com prejuízos para as partes e também no que diz respeito a terceiros", justificou a juíza na sua decisão.

No processo, Scarpa pede a rescisão do seu contrato com o Fluminense sob a alegação de atraso de três meses no pagamento dos seus direitos de imagens, além de seis meses no recolhimento no FGTS. Envolvendo outras pendências, o valor solicitado pelo jogador na ação contra o clube carioca foi de pouco mais de R$ 9 milhões.

Após o período de férias, Scarpa não se apresentou ao Fluminense para iniciar a preparação visando a temporada 2018. A situação deixou a diretoria do clube em alerta e a levou a quitar os atrasos com o jogador para tentar evitar uma ação judicial. O jogador, porém, já havia ido à Justiça antes da realização do pagamento.

Com grave problemas financeiros, o Fluminense recebeu algumas ofertas por Scarpa nas últimas semanas, mas as negociações não avançaram. Nesse momento, o São Paulo seria o clube com mais interesse na contratação do meia, que segue vinculado ao clube carioca.

Comentários