Mortes em protestos no Irã

Por O Dia

Aiatolá Khamenei:'inimigos' do Irã incentivam manifestações
Aiatolá Khamenei:'inimigos' do Irã incentivam manifestações - afp

Mais de 450 pessoas já foram presas durante a onda de protestos que deixou 21 mortos desde a semana passada em várias cidades do Irã.

Nove pessoas - sendo seis manifestantes, um garoto de 11 anos, um policial e um membro da Guarda Revolucionária, força de elite iraniana - morreram durante protestos na região de Isfahan, na noite de segunda-feira.

Os manifestantes foram vitimados em confrontos com as forças de segurança quando tentavam invadir uma delegacia em Qahderijan.

Ontem, o líder máximo do país, aiatolá Ali Khamenei, acusou os inimigos do país de estarem por trás das manifestações, com a intenção de provocar instabilidade. "Nos últimos dias, inimigos do Irã usaram diferentes ferramentas, incluindo dinheiro, armas, política e aparatos de inteligência para criar problemas para a República Islâmica", disse.

O presidente americano, Donald Trump, continuou ontem a incentivar os protestos.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência