Policiais suspendem greve no RN

Por O Dia

Crianças deram mergulho nas águas da Baía, na Zona Portuária
Crianças deram mergulho nas águas da Baía, na Zona Portuária - Luciano Belford / Agencia O Dia

Policiais militares, civis e bombeiros do Rio Grande do Norte decidiram ontem aceitar o acordo proposto pelo governo estadual, pondo fim à paralisação das categorias, que durou 23 dias.

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol-RN), o governador Robinson Faria (PSD) aceitou as reivindicações das categorias e prometeu não abrir processo administrativo ou qualquer outra sanção contra nenhum agente pela mobilização.

Hoje, haverá uma reunião para formalizar o compromisso. "O governo fez concessões, apresentou outros itens e prometeu renovar viaturas, pagar os salários de dezembro até esta sexta-feira, e de janeiro até o final do mês", informou a vice-presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos dos Policiais Militares e Bombeiros Militares, Márcia de Carvalho Fernandes. Também foi concedido um aumento do vale alimentação de R$ 10 para R$ 20, e a entrega de 50 novos carros para os batalhões.

Segundo os policiais, caso o governo não cumpra as exigências, a categoria voltará a parar nos dias do Carnaval.

MOTIVAÇÃO

A paralisação foi um protesto pelo pagamento dos salários de novembro, dezembro e o 13º, além de melhores condições de trabalho.

Os agentes negam que estavam em greve e argumentam que não podiam sair às ruas sem condições mínimas de segurança, com carros danificados e coletes balísticos fora da validade.

No sábado, o governo decretou situação de calamidade na segurança pública. O estado teve crescimento de 40% nos crimes violentos durante o movimento.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência