PF quer fechar Lava Jato esse ano

Por O Dia

O novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, deu ontem um prazo para o término das investigações da Lava Jato na instituição. Ele disse que pretende concluir até o final deste ano os inquéritos da operação e a apuração do suposto pagamento de propina da empresa Rodrimar para o presidente Michel Temer.

A Polícia Federal mais que dobrou a equipe da Lava Jato que atua nos inquéritos envolvendo políticos no STF para tentar encerrar as investigações antes das eleições deste ano. Segovia autorizou o nomeação de mais oito delegados, sete escrivães e 17 analistas para atuar no Grupo de Inquérito (GINQ) responsável pelas 273 investigações de políticos que tramitam na Corte.

Segovia se reuniu ontem com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia e comentou a meta ambiciosa. "É uma meta que a ministra Cármen Lúcia também quer, a doutora Raquel Dodge (procuradora-geral da República) também está imbuída nesse propósito, e acho que o Brasil merece ter uma resposta quanto a essas investigações", disse.

Sobre o inquérito sobre Michel Temer, Segovia disse que aguarda as respostas do presidente às perguntas formuladas pela PF "para que seja tomado um novo passo na investigação".

O inquérito, de relatoria do ministro Luís Roberto Barroso, apura se a Rodrimar, empresa que opera no Porto de Santos, foi beneficiada pelo decreto assinado pelo presidente em maio, que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência