Mais Lidas

Treze irmãos mantidos em cativeiro têm difícil recuperação

Avós estão 'surpresos e chocados'. Vizinhos alegam que família era estranha, mas não o suficiente para chamar a polícia. Eles ainda descreveram o estado das vítimas

Por O Dia

David Turpin, de 57 anos, e Loise Turpin, de 49 anos, foram presos por tortura e por colocar em risco a vida dos filhos. Os 12 filhos estavam acorrentados em um ambiente sujo e desnutridos
David Turpin, de 57 anos, e Loise Turpin, de 49 anos, foram presos por tortura e por colocar em risco a vida dos filhos. Os 12 filhos estavam acorrentados em um ambiente sujo e desnutridos -

Califórnia - Os 13 irmãos desnutridos encontrados confinados por seus pais em uma casa na Califórnia, três deles acorrentados a móveis, foram levados a um lugar seguro para iniciar o que será uma longa e dura recuperação, enquanto a polícia investiga o impactante abuso.

David Allen Turpin, de 57 anos, e sua esposa, Louise Anna Turpin, de 49, estão presos sob suspeita de tortura depois que foram descobertas no domingo as terríveis condições em que mantinham seus filhos, de entre dois e 29 anos.

Os 13 foram levados a hospitais da região, tratados por desnutrição e submetidos a outros testes de diagnóstico.

No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016. Este é um registro de 2016, um dos últimos em família que foram compartilhados - Reprodução/ Facebook

"As necessidades de longo prazo dessas crianças serão psicológicas e psiquiátricas devido aos períodos prolongados de inanição e maus-tratos", disse Sophia Grant, diretora médica da unidade de abuso infantil da Riverside University Health System.

Mark Uffer, diretor do centro médico regional Corona, onde estão internados os maiores de 18 anos, descreveu seu estado como "estável".

"Estão bem e se encontram em um ambiente muito seguro", disse. "Passaram por uma experiência muito traumática. Posso dizer que são muito amáveis. São muito cooperativos, e acho que têm a esperança de que a vida melhore depois disso".

Os pais não explicaram o motivo do sequestro de seus filhos. A polícia disse que não havia indícios iniciais de abuso sexual, mas advertiu que a investigação ainda está em curso.

Tampouco encontrou sinais de que o casal sofre de alguma doença mental ou de que as condições em que seus filhos se encontravam estivesse relacionada com crenças religiosas da família. Exames confirmaram que os Turpin são os pais biológicos dos 13 irmãos, acrescentou.

Segundo a polícia, a família se mudou em 2014 do Texas para o bairro de classe média de Perris, que fica a 110 quilômetros a sudeste de Los Angeles, e escolheu educar seus filhos em sua casa de estilo espanhol. 

"Pareciam vampiros pálidos e muito magros", disse Kimberly Milligan, uma vizinha, sobre as três crianças que viu. "Nunca recebiam amigos ou familiares".

"Muitas coisas eram estranhas, mas não o bastante para chamar a polícia", acrescentou. "Pensei que eram pais superprotetores à décima potência".

Os pais de Turpin, que vivem no estado de West Virginia (este), disseram à ABC News que estavam "surpresos e comovidos", mas que não viam seu filho e seus netos há quatro ou cinco anos.

Na página do Facebook de David-Louise Turpin se pode ver o casal celebrando várias vezes seu próprio casamento com seus filhos entre 2011 e 2016.

No último álbum de fotos, publicado entre abril e julho de 2016, Louise usa um vestido de noiva branco e seu marido um terno. Um imitador de Elvis Presley segura um microfone e posa com o casal e seus filhos em uma cena que lembra um casamento em Las Vegas.

No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016. Este é registro de 2016, um dos últimos em família que foram compartilhados - Reprodução/ Facebook

Nove meninas, todas com cabelo longo e escuro, usam vestidos iguais nas cores fúcsia e branco, com meias brancas, enquanto a bebê usa um vestido rosa brilhante. Três meninos, com o cabelo escuro com um corte como o de David Turpin, vestem ternos e gravatas vermelhas.

"É realmente muito, muito triste", disse Jamelia Adams, uma vizinha da família de 39 anos, à AFP.

David Turpin aparece em registros do estado como diretor de um colégio privado inaugurado em 2011, e seu endereço coincide com o de sua residência.

A vizinha Érica Carmona, 34 anos, viu os meninos "magros, tristes, tímidos e pensou que eram crianças especiais". Uma vez "cheguei a pensar que eram sequestrados", mas aí achei que "estava viajando".

No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016 - Reprodução/ Facebook

"É claro que se soubesse que acontecia algo, qualquer abuso, teria chamado a polícia", declarou Wendy Martínez, 41, outra vizinha.

Greg Fellows, chefe da polícia de Perris, assinalou em entrevista coletiva que jamais recebeu qualquer denúncia sobre os Turpin.

Os Turpin não falavam com os vizinhos, nem mesmo um simples bom dia ou um alô, mas aparavam sua grama, exceto em algumas ocasiões.

No estacionamento da casa há três carros compactos e um furgão. Os carros têm placas personalizadas relacionadas à Disneylândia, parque de diversões já frequentado pela família, como revelam fotos no Facebook.

Com informações da AFP

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

David Turpin, de 57 anos, e Loise Turpin, de 49 anos, foram presos por tortura e por colocar em risco a vida dos filhos. Os 12 filhos estavam acorrentados em um ambiente sujo e desnutridos AFP
No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016. Este é registro de 2016, um dos últimos em família que foram compartilhados Reprodução/ Facebook
No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016. Este é um registro de 2016, um dos últimos em família que foram compartilhados Reprodução/ Facebook
No Facebook há diversas fotos em família postadas entre os anos de 2010 e 2016 Reprodução/ Facebook

Comentários