Brincadeira Verde e rosa

Com o enredo 'Com ou sem dinheiro, eu brinco', Mangueira prepara Carnaval sem luxo, mas com muita irreverência

Por JONATHAN FERREIRA

Visitantes fizeram visita guiada ontem ao barracão da Mangueira
Visitantes fizeram visita guiada ontem ao barracão da Mangueira - Daniel Castelo Branco

A Estação Primeira de Mangueira está seguindo ao pé da letra o enredo 'Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco', de 2018. Mesmo com o orçamento enxuto, e faltando ainda 40% da confecção do Carnaval a pouco mais de um mês da folia, a escola não deixará de levar para a Sapucaí uma festa irreverente e caprichada nas críticas. Experiente no quesito crise financeira, o carnavalesco Leandro Vieira colocou funcionários do barracão para trabalhar de domingo a domingo e afirma que tudo ficará impecável no dia do desfile.

"Há algum tempo eu tenho participado de carnavais que, além do desfile, são administrações de crise. Eu tenho uma certa vantagem por estar fazendo o Carnaval em um cenário mais turbulento", avaliou Vieira. Ele acredita que este ano será um Carnaval difícil para as escolas em termos de realização, mas que a festa será grandiosa em seu aspecto crítico.

De acordo com Leandro, a Mangueira irá apresentar um desfile com menos luxo, mas com mais conteúdo. "O enredo da Mangueira nasce dessa discussão da pertinência do Carnaval para a cidade. Desde o princípio, ele é declaradamente um posicionamento de uma escola de samba sobre o corte da verba da prefeitura", explicou o carnavalesco, que vai retomar a ideia de um Carnaval mais brincalhão, debochado e irreverente. "As pessoas podem esperar um Carnaval de brincadeira, para se divertir e brincar", completou.

O tema do desfile da Verde e Rosa chega em uma fase onde a prefeitura cortou pela metade o repasse de verba ao Grupo Especial. Cada escola terá subvenção de R$ 1 milhão, parcelada em cinco vezes. "A verba da prefeitura igualava o padrão das escolas. Fazia com que escolas sem patrono e sem patrocínio pudessem chegar em pé de igualdade com escolas que conseguem anualmente patrocínio privado", ponderou Leandro.

Para a folia deste no, a Mangueira investe R$ 4,5 milhões. O montante é a soma da verba pública, com a distribuição de ingressos e direito de transmissão do desfile. A Verde e Rosa será a sexta escola a passar pela Avenida, no domingo, dia 11 de fevereiro.

Com a verba carnavalesca reduzida, a Liesa foi obrigada a cancelar os ensaios técnicos na Sapucaí. Mas para diminuir os impactos na preparação da escola, a Mangueira decidiu dobrar o número de ensaios de rua com a comunidade, que são realizados às quintas e aos domingos, a partir das 20h. "A principal falta que o ensaio técnico faz é no impacto positivo que ele trazia para o pré-carnaval da cidade. Isso (o ensaio) engrandece muito o desfile", acrescentou Leandro.

Galeria de Fotos

Verde e Rosa colocou à venda 600 figurinos DIVULGAÇÃO
Visitantes fizeram visita guiada ontem ao barracão da Mangueira Daniel Castelo Branco
Carnavalesco Leandro Vieira afirma que desfile será bem debochado e com tom crítico Daniel Castelo Branco

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro