Réveillon tem aumento de 11,4% no fluxo de turistas na cidade

Escreva ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ????????????? ?????????????

Por O Dia

O fluxo de turistas no Rio no período do Réveillon aumentou 11,4% em relação ao ano passado. No total, 707 mil turistas passaram pela cidade e injetaram R$ 1,82 bilhão na economia carioca. Incluindo os investimentos na organização da festa, o impacto chegou a R$ 1,94 bilhão. Esse movimento gerou 49 mil postos de trabalho 9,3% a mais do que na edição passada e R$ 115 milhões em tributos para o Rio. O evento foi o primeiro do Calendário Rio de Janeiro a Janeiro, criado para incrementar o setor de turismo.

Os dados fazem parte de pesquisa encomendada pelo Ministério da Cultura à Fundação Getúlio Vargas sobre o perfil de consumo do turista durante o Réveillon no Rio.

O resultado mostra o impacto econômico das atividades culturais em um dos maiores eventos internacionais do Brasil. "Os resultados foram muito além do que esperávamos", disse o ministro da Cultura, Sá Leitão.

A pesquisa também mostra a visibilidade que o Brasil ganha com os eventos. Dos 707 mil turistas que passaram a virada do ano no Rio, 614 eram brasileiros e 93 mil, estrangeiros. Os brasileiros eram majoritariamente de São Paulo (41,4%), seguido de Minas Gerais (16,3%). Do exterior, a maioria era da Argentina (33,1%), seguida da Europa (21,4%).

HOSPEDAGEM E GASTOS

Turistas brasileiros ficaram em média cinco dias no Rio e gastaram R$ 287,45 por dia. Os estrangeiros passaram um dia a mais e gastaram R$ 329 por dia. Locais de hospedagem chegaram a atingir 98% de ocupação, de acordo com o levantamento.

Uma parte dos turistas brasileiros se hospedaram na casa de amigos (35,4%). Outros 31,9% ficaram em hotéis, pousadas e albergues; 25,6% alugaram casas; 3,6% ficaram em navios e 3,2% em casas próprias. Entre os estrangeiros, 47,5% ficaram em hotéis, pousadas e albergues; 27,2% em casas alugadas; 11,1% na casa de amigos ou parentes; 3,2% em navios e 1% em casa própria.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro