O que é que a baiana tem?

Por O Dia

O público poderá 'apreciar' as delícias herdadas da Índia no desfile da Mocidade. O cravo e a canela, que dão título ao romance de Jorge Amado, serão representados na bateria: os ritmistas virão fantasiados de cravo e a rainha, Camila Silva, de canela.

"O coco, chamado de coco da Bahia, na verdade veio de lá. A banana, imortalizada por Braguinha em 'Yes, Nós Temos Bananas', veio da Índia. E até mesmo a pimenta e os temperos que a gente usa no tabuleiro da baiana", conta Alexandre Louzada.

A religiosidade será o tema da comissão de frente, mantida em segredo, mas que promete grande surpresa. O abre-alas fará um pedido de licença às divindades hindus Brahma, Vishnu e Shiva (que simbolizam o início, o meio e o fim) e Ganesha (o deus da boa sorte). "O abre-alas traduz uma grande festa de casamento das duas culturas", revela. A ala das baianas fará menção à flor de lótus e à vitória-régia.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro