Teste do pezinho tem agora resultado pela internet

Plataforma online foi lançada ontem pela Secretaria Estadual de Saúde, em parceria com Apae-Rio e municípios fluminenses

Por ASSINATURA REPÓRTER

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) lançou ontem uma plataforma de acesso online ao resultado do teste do pezinho. Os pais poderão consultar o laudo no site Conexão Saúde (saude.rj.gov.br/testedopezinho) ao inserir o número que receberão logo após o bebê realizar o exame, junto à data de nascimento. A expectativa é que o resultado saia em até 30 dias.

O teste do pezinho deve ser feito em recém-nascidos de até cinco dias. O exame permite detectar doenças como fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, anemia falciforme, hiperplasia adrenal congênita e a deficiência de biotinidasem, antes que prejudiquem o desenvolvimento e a inteligência dos bebês.

Em cerimônia na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Rio de Janeiro (Apae-Rio), o secretário estadual de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Júnior, enalteceu a união de forças que viabilizou o projeto entre SES, Apae que realiza a análise do teste e Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Rio de Janeiro (Cosems).

Teixeira também revelou detalhes do processo para colocar a ideia em prática. "Fomos muito contestados, mas sabíamos que estávamos tomando uma decisão acertada. Tomamos uma decisão técnica. A coisa pública tem que ser tratada com transparência e com economicidade, buscando salvar o maior número de vidas possível. Havia inúmeros atrasos no teste do pezinho. Era pauta de todas nossas reuniões mensais com os secretários municipais de saúde. Mas não bastava colocar os exames em dia. Tinha que colocar e fazer algo mais. É um legado para sempre, não podemos mais retroagir", explicou.

O militar Bruno Machado, de 30 anos, pai do pequeno Bruno Miguel, de oito meses, contou que o resultado do teste do pezinho de seu filho só saiu após sete meses. Morador da Vila da Penha, ele fez o exame na clínica da família de Vicente de Carvalho. Machado acredita que o novo sistema pode impedir futuros problemas como esse. "Seria muito complicado se meu filho tivesse uma patologia agressiva e o resultado viesse com atraso. É uma ótima medida para iniciar rapidamente o tratamento das crianças que forem diagnosticadas com alguma patologia".

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro