Homem morre baleado em assalto a ônibus na Avenida Brasil.                    - Estefan Radovicz/agência O Dia
Homem morre baleado em assalto a ônibus na Avenida Brasil. Estefan Radovicz/agência O Dia
Por RAFAEL NASCIMENTO

Rio - Um assalto a um ônibus, na noite desta quinta-feira, acabou com um passageiro e um assaltante mortos na Rodovia Presidente Dutra, altura de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os bandidos embarcaram no ônibus 452B (Central do Brasil - Vila Camorim), da viação Blanco, em frente ao Into, às 20h. Quando o ônibus entrou na Dutra eles anunciaram o assalto. Um caminhoneiro teria visto e alertado à PRF. Na altura de São João de Meriti os policiais mandaram o ônibus parar após um cerco.

Os criminosos desembarcaram armados para fugir mas, percebendo que estavam cercados, voltaram para dentro do ônibus. Um dos assaltantes voltou a descer do ônibus e trocou tiros com os agentes da PRF. Este criminoso teria sido o que acabou morto no local. O seu comparsa, Everson Siqueira de Souza, de 38 anos, roubou a marmita de um passageiro e tentou se passar por vítima, mas acabou preso. Um passageiro também acabou atingido e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a PRF, passageiros disseram que o assaltante disparou e acertou a vítima e a perícia confirmou a informação das testemunhas. O passageiro morto foi identificado como Anderson de Souza, de 44 anos. Ainda não há informações sobre a identificação do bandido morto.

Passageiro morto buscava mais segurança no 'frescão'

Há 24 anos no funcionalismo federal, Anderson buscava no frescão de R$ 13,80 que pegava no Centro do Rio mais segurança na volta para casa. O técnico judiciário na área de informática do TRF-2 já tinha sido assaltado em outra linha quando voltava do trabalho.

"A segurança é péssima, como vamos voltar para casa? Temos que encarar esses ônibus na hora que voltamos e até no trem hoje tem assalto. Não adianta mais cobrar, vamos cobrar de quem?", desabafou Monica Maria da Cruz, irmã de Anderson.

O pai de Anderson, o aposentado Augusto Manoel da Cruz, de 62 anos, disse que o filho costumava chegar por volta de 21h30. "Deu 10, deu onze horas e nada. Às 23h30 a Polícia Civil me ligou e avisou da morte", disse, muito abalado.

A vítima era solteira e tinha outros quatro irmãos. Sempre estudioso, sonhava em ser servidor público federal, quando conseguiu passar para o TRF-2 aos 20 anos. Com a estabilidade, conseguiu construir sua casa, onde morava com os pais já idosos. Sua maior paixão eram os oito sobrinhos.

"Ele sempre estudou, tinha um bom emprego e agora morreu. Acabou", lamentou a irmã, que falou que a mãe de 65 anos está doente e ainda não sabe da morte do filho. O velório deve começar na noite de hoje e o enterro está previsto para a manhã deste sábado no Cemitério da Jaqueira, em Queimados.

Você pode gostar
Comentários