Portal pede informações sobre suspeito de assumir tráfico no Complexo do Anaia

Conhecido como Playboy, traficante teria substituído Nando do Anaia, que foi morto na última segunda-feira

Por O Dia

Portal pede informações sobre o traficante que teria assumido a chefia do tráfico no Complexo do Anaia
Portal pede informações sobre o traficante que teria assumido a chefia do tráfico no Complexo do Anaia - Divulgação

Rio - O Portal dos Procurados divulgou um cartaz, nesta sexta-feira, oferecendo R$ 1 mil por informações sobre o suspeito de assumir a chefia do tráfico de drogas, no Complexo do Anaia, em São Gonçalo, no lugar de Luiz Fernando Rodrigues de Souza, o Nando do Anaia. De acordo com a polícia, Rafael de Arnoud, conhecido como Playboy ou Pulga ou Bigodinho, de 28 anos, é ligado à facção criminosa Comando Vermelho.

As investigações mostram que Playbou era gerente geral das localidades do Cafuca, Monte Formoso, Buraco Quente, Parada São Jorge, Barracão e Anaia Grande. Com a morte de Nando, na noite da última segunda-feira, ele também passou a ser responsável pelos pontos de comércio de drogas do Jardim Miriambi, Lagoinha e do Morro da Caixa D’água, na Vila Três.

De acordo com o Portal dos Procurados, Playboy é um dos principais suspeitos de balear um policial militar em dezembro. Na ocasião, uma viatura da PM foi atacada na Estrada de Santa Izabel. Ao manobrar a viatura para perseguir o veículo, o cabo Rogério Fernandes, de 34 anos, foi baleado e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

Playboy também é suspeito de ter participado da morte do soldado Thiago Marzula de Abreu, de 30 anos, do 7º BPM (São Gonçalo), em junho do ano passado, quando foi baleado na cabeça por traficantes na Favela do Dita, em São Gonçalo. egundo a Polícia Militar, Marzula e outros policiais patrulhavam a comunidade quando foram atacados a tiros pelos criminosos. A vítima foi o 89ª PM morto em 2017.

Quem tiver informações sobre o suspeito pode enviar para o WhatsApp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; Facebook/(inbox), www. facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro