Seseg formula em grupo Política Pública sobre drogas

Cartazes serão colocados em batalhões e delegacias

Por ASSINATURA REPÓRTER

Capitão Tatiana Lima é a coordenadora de Grupo de Estudo
Capitão Tatiana Lima é a coordenadora de Grupo de Estudo - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Um grupo de estudo criado em junho do ano passado na Secretaria de Segurança Pública pretende lançar uma Política Pública no estado voltado à problemática das drogas. "Não existe mais a ideia antiga de guerra às drogas. A política pública que pensamos é aquela que possa trazer uma melhor qualidade de vida para o Rio de Janeiro, com uma nova abordagem", afirmou a capitão Tatiana Lima, coordenadora do Grupo de Estudo referente às drogas da pasta.

Os cartazes que serão colocados nas delegacias e as palestras de qualificação de agentes nos batalhões e delegacias a partir de fevereiro fazem parte da primeira etapa prática que surgiu após discussões no grupo. No total, são 15 integrantes, inclusive representantes das secretarias estadual e municipal de Saúde, Guarda Municipal, Fundação Oswaldo Cruz e Direitos Humanos.

"Só ao final do estudo, com todas as fases realizadas, poderemos dizer qual será a Política Pública proposta. Pode ser uma de redução de danos ou outra diferente. Por isso o grupo de estudo", explicou a capitão.

A primeira iniciativa de redução de danos surgiu na Holanda, em 1984. Preocupados com os elevados índices de Hepatite B entre usuários de drogas injetáveis devido ao compartilhamento de seringas, o governo criou o primeiro programa de distribuição e troca de agulhas. São Paulo, Porto Alegre e Sergipe já possuem políticas similares.

A capitão Tatiana, que já atuou como comandante da UPP, disse que já se deparou com situações de pedido de ajuda. "Éramos abordados por moradores que relatavam roubos feitos por parentes viciados. O policial tem que saber orientar a população a procurar ajuda e essa fase de qualificação será para isso", disse.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro