Uerj em várias frentes de pesquisa

Por O Dia

Apesar de todos os obstáculos, a Uerj continua produzindo conhecimento. "Temos uma pesquisadora que descobriu um micro-organismo que pode degradar os produtos contaminantes do petróleo. No caso de um vazamento, por exemplo, ele pode limpar a região afetada", revelou o professor Egberto, para demonstrar a importância da pesquisa para a vida, de uma forma bem abrangente.

Segundo ele, a Uerj só não desenvolve pesquisas em ciências agrárias e veterinária, porque não dispõe desses cursos. "Na Faculdade de Educação, temos vários projetos de melhoria do ensino fundamental e médio que são oferecidos ao governo e aplicados", destaca o professor, que prossegue: "Acabamos de inaugurar um Centro de Neurocirurgia para avaliar, através de estímulos elétricos, a localização de tumores. Permite que o neurocirurgião vá com maior exatidão ao tumor. É um aparelho que só tem aqui na Uerj", garante. "Tem várias coisas que a gente faz que são mostradas, primeiro, aos outros cientistas. Mas, depois, tudo é passado para a sociedade".

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro